Tony Goes

A Fazenda 12: Reality estreia com sede reformada e surpresas no elenco

Racismo e ciúmes entre participantes podem agitar a nova temporada

Peões reunidos na sala de A Fazenda 12
Peões reunidos na sala de A Fazenda 12 - Reprodução

Há que se aplaudir a estratégia de marketing da Record. Durante mais de um mês, os sites que cobrem o showbiz –inclusive o F5– soltaram lista atrás de lista com os nomes supostamente confirmados para a 12ª edição de A Fazenda.

Seria decepcionante se essas matérias, atualizadas até o último minuto, estivessem 100% corretas. Ainda bem que não estavam. Ao lado de figuras como Jojo Toddynho e Biel, anunciadas há tempos, surgiram surpresas como Mateus Carrieri, veterano do primeiríssimo reality de confinamento produzido no Brasil, Casa dos Artistas (SBT, 2001), e Luiza Ambiel, frequentadora assídua do quadro Banheira do Gugu na década de 1990 (que, verdade seja dita, apareceu como “interessada” em participar do jogo em algumas notícias publicadas em julho).

O resto não trouxe maiores emoções, pois todos já apareciam nas muitas listas ventiladas: Lucas Cartolouco, Carol Narizinho, Lidi Lisboa, Lipe Ribeiro, Mariano, Tays Reis, Jakelyne Oliveira, Juliano Ceglia, Stéfani Bays, Fernandinho Beat Box, Lucas Selfie, Victória Villarim, Raissa Barbosa, JP Gadêlha, Rodrigo Moraes e MC Mirella (que não disfarçou o espanto ao se deparar com Raissa –segundo ela, “a amante do meu ex!”).

É um bom elenco, mas não excepcional –a falange masculina, cheia de influenciadores e apresentadores pouco conhecidos, parece mais fraca que a feminina. Aliás, como tem influenciador nesse mundo, hein? Mas o desinibidérrimo Cartolouco, demitido da Globo por indisciplina, e o carismático Gadelha (ex-The Circle Brasil, da Netflix) prometem esquentar a competição.

Não vai ser por falta de incentivo de Marcos Mion. Em sua terceira temporada à frente do programa, ele está tão à vontade que chega a irritar, tamanha a insistência em tacar “fogo no feno”. Uma de suas falas merece ser registrada para a posteridade: “O banheiro emporcalhado! A gente precisava viver essas coisas de novo”.

Não sei se precisávamos, mas é certo que o Brasil entrou em crise de abstinência desde que o BBB 20 terminou em abril. A pandemia provocou um tsunami de reprises na TV aberta, e o público anda sedento por conteúdo inédito.

A Record fez bastante alarde das rígidas regras de segurança que a produção de A Fazenda vem seguindo. Durante a apresentação dos participantes no estúdio, a plateia era formada por pessoas dentro de grandes bolhas de plástico transparente. Mion só interage com os peões remotamente, através de um telão.

Mas, uma vez dentro da sede –que foi reformada e está mais bonita do que nunca– todos podem se agarrar à vontade. De fato, só faltava eles terem que respeitar o distanciamento social mesmo quando confinados. Às vezes é bom esquecermos que, na vida real, ainda estamos em quarentena.

O BBB 20 virou um dos programas definidores deste ano quando temas como machismo e racismo passaram para o primeiro plano. Será que A Fazenda 12 irá pelo mesmo caminho? Na votação entre os participantes que abriu os trabalhos desta temporada, o modelo negro Rodrigo Moraes foi o primeiro dos quatro escolhidos para dormirem na baia. Coisa parecida aconteceu no reality da Globo, quando Babu Santana era indicado ao paredão quase toda semana.

Diversão misturada com debate não faz parte do DNA da Record. Mas, se as rivalidades pré-existentes entre alguns peões fizerem o feno pegar fogo para valer, esta Fazenda já estará valendo a pena.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem