Prêmio F5

Prêmio F5: Há 32 anos na TV, A Praça é Nossa vence novatas como melhor programa de humor

Tatá Werneck e Marcus Majella levam troféus de melhor ator e atriz de humor

Carlos Alberto de Nóbrega na Praça de Natal
Carlos Alberto de Nóbrega inaugura decoração de Natal na Praça é Nossa - Lourival Ribeiro/Divulgação
São Paulo

A fórmula já é um clássico da televisão brasileira. Carlos Alberto de Nóbrega senta no mesmo banco, da mesma praça, abre um jornal e interage com os mais diversos personagens. Depois de 32 anos, o programa do SBT A Praça é Nossa foi o favorito entre os internautas e levou o Prêmio F5 2019 de melhor série de humor.

Foram 41% dos votos para o programa, que estreou em 7 de maio de 1987 no SBT. Antes disso, de 1957 a 1976, a atração, então intitulada "A Praça da Alegria", foi exibida na TV Paulista, que viria a se tornar a Globo. Em seguida, a atração passou pela Record e TV Rio até sair do ar nos anos 70.

O formato foi criado por Manoel de Nóbrega (1913-1976), durante uma viagem a Buenos Aires ao observar, da janela do hotel, a cena de um homem sentado em um banco conversando com as mais diversas pessoas. No SBT, quem comanda a atração é seu filho, Carlos Alberto de Nóbrega, 83.

Há 32 anos sem interrupção na TV, A Praça é Nossa desbancou algumas novatas na programação. Greg News, comandado desde 2017 pelo comediante e colunista da Folha Gregório Duvivier na HBO ficou com 9% dos votos. Encrenca, da RedeTV!, no ar desde 2014, ficou com 15%. Já a Globo levou 17% dos votos com o Tá no Ar: a TV na TV e outros 18% com o Zorra.

Já o troféu de melhor série de humor ficou com "Vai que Cola", do Multishow, com 50% dos votos. Em seguida, vieram "Os Roni", do mesmo canal, com 19%; "Cine Holliúdy" (Globo), com 14%;  "Filhos da Pátria" (Globo), com 12%; e "Shipados" (Globoplay), com os outros 5%. 

MAJELLA E TATÁ VENCEM MELHOR ATOR E ATRIZ DE HUMOR

Se a TV aberta dominou as indicações e o prêmio de melhor programa de humor, foi na TV paga que se destacaram os vencedores dos prêmios de melhor atriz e ator de humor. Marcus Majella, que dá vida ao concierge Ferdinando, do “Vai que Cola, no Multishow, venceu a disputa com 53% dos votos.

Concorriam ao prêmio Maurício Manfrini, o Américo de "O Dono do Lar", do Multishow, que ficou com 16% dos votos; Johnny Massaro, o Geraldinho de "Filhos da Pátria" (Globo), com 11%; Edmilson Filho, o Francisgleydisson, de "Cine Holliúdy" (Globo), com 12%; e Alexandre Nero, intérprete do Geraldo, de "Filhos da Pátria" (Globo), com 7%. 

Já o troféu de melhor atriz de humor ficou com Tatá Werneck por sua personagem Rita da série "Shippados" (Globoplay). A humorista, que venceu também o Prêmio F5 de melhor programa de entrevistas com seu Lady Night, levou 52% dos votos.

​​Grace Gianoukas (Dona Nina), em "O Dono do Lar"; Fernanda Torres (Maria Teresa), em "Filhos da Pátria" (Globo), Dani Calabresa (Catifunda), em "Escolinha do Professor Raimundo" (Globo) e Cacau Protásio (Terezinha), em "Vale que Cola" (Multishow), ficaram com 2%, 7%, 7% e 32% dos votos, respectivamente. 

Os candidatos de cada categoria foram definidos pela Academia F5, formada pela equipe de reportagem e colunistas do F5 e convidados da editoria de Ilustrada. Já a votação foi aberta até o último dia 15 aos internautas, que puderam clicar quantas vezes quisessem em seus favoritos em cada uma das 30 categorias, que incluem ainda homem e mulher mais sexy, hit do ano e melhor casal. Os vencedores estão sendo divulgados diariamente no site do F5. 

Três prêmios foram entregues pela primeira vez neste ano: melhor game, melhor influenciador digital e melhor canal de YouTube. Outros dois prêmios foram reformulados, como o de melhor série, que passou a ser dividida entre melhor série dramática e melhor série de humor. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem