Tony Goes

Nanda Costa saiu do armário, e a internet não está nem aí

Repercussão tem sido menor a cada celebridade que se assume gay

A atriz Nanda Costa, que está no ar como Maura em "Segundo Sol"
A atriz Nanda Costa, que está no ar como Maura em "Segundo Sol" - João Cotta/Globo

Em 2013, quando Daniela Mercury revelou seu relacionamento com a jornalista Malu Verçosa, a mídia brasileira entrou em convulsão. Até então, eram raríssimas as celebridades nacionais assumidamente gays.

O casal estampou capas de revistas, mas também recebeu uma saraivada de críticas. A cantora estaria apenas querendo aparecer; tanta exposição não passaria de um golpe de marketing. Se isso fosse verdade, o Brasil seria uma das nações mais avançadas do planeta: um lugar onde a homossexualidade conta pontos a favor.

Mas o país realmente mudou desde então. Ao longo desses cinco anos, outros famosos saíram do armário, como Bruna Linzmeyer, Hugo Bonemer e Fernanda Gentil. A cada episódio, a repercussão foi ficando menor. Nesta terça (12), Dia dos Namorados, não faltaram declarações de amor nas redes sociais. Entre elas, a que a atriz Nanda Costa (a Maura da novela "Segundo Sol") fez à namorada, a música Lan Lahn, chamou atenção -mas não muita.

Claro que a postagem de Nanda no Instagram está cheia de comentários negativos. Mas os positivos são em maior número. E há algo ainda mais sintomático: a internet brasileira não explodiu em chamas por causa dessa notícia. Comparada à comoção em torno de Daniela Mercury, a confissão de Nanda Costa, um nome do primeiro time da Globo, está passando batida. Sinal de que amadurecemos?

Sim, um pouco. Haja vista que a carreira dos assumidos não sofreu qualquer abalo. O clima mudou ao ponto de que até uma novata como Carol Duarte (a Ivana/Ivan da novela “A Força do Querer”) pode exibir a namorada nas redes sociais sem que o mundo venha abaixo.

Mas uma coisa é verdade: a sociedade ainda pega mais leve com as mulheres. Tanto que, entre os homens que saíram do armário, não tem nenhum muito famoso. Hugo Bonemer ainda é mais conhecido por ser primo de William Bonner, do Jornal Nacional (Globo), do que por seu trabalho no teatro e na TV. O cantor e ator Bruno Gadiol, que também aproveitou o Dia dos Namorados para se assumir gay, praticamente só é lembrado por quem o viu em “Malhação - Viva a Diferença”.

Essa disparidade não é exclusiva do Brasil. No resto do mundo, ainda são mais frequentes (e mais aceitas) as atrizes que os atores que revelaram preferência pelo mesmo sexo. Só que até nisso está mudando.

Nos Estados Unidos, por exemplo, algumas celebridades masculinas estão conseguindo manter a carreira mesmo depois de admitirem que são homossexuais. Quatro delas estão juntas na remontagem da peça “Os Rapazes da Banda”, atualmente em cartaz na Broadway: Jim Parsons (“The Big Bang Theory”), Zachary Quinto (da franquia “Star Trek”), Matt Bomer (“White Collar”) e Andrew Rannells (“Girls”).

Está certo que nenhum deles virou galã romântico ou astro de filmes de ação. Por outro lado, também vem surgindo uma nova geração de espectadores, que não está nem aí para a vida particular das figuras públicas. Celebridades gays já fazem parte da paisagem. Talvez não esteja longe o dia em que o próprio termo “saída do armário” se torne obsoleto, já que o próprio armário está em vias de extinção.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem