Tony Goes

Crítica de Gaby Amarantos a Silvio Santos é prova de que o Brasil mudou

Piadas preconceituosas do apresentador já não são mais perdoadas

A cantora Gaby Amarantos durante apresentação na Virada Cultural, na Chácara do Jockey, zona sul
A cantora Gaby Amarantos durante apresentação na Virada Cultural, na Chácara do Jockey, zona sul de São Paulo

São Paulo

No dia 2 de junho, completaram-se 55 anos do Programa Silvio Santos. Nenhuma outra atração, em nenhum lugar do mundo, permaneceu tanto tempo no ar com o mesmo apresentador. E com o mesmo conceito: desde os idos de 1963 que Silvio entretém um auditório com competições, brincadeiras e números musicais onde se alternam anônimos e famosos.

Outra coisa que não mudou nesse tempo todo foi a língua solta de Silvio Santos. Até hoje, ele zomba de seus convidados. Passa cantadas nas mulheres bonitas, faz troça com os gordos, zomba do cabelo dos negros.

Durante muitos anos, ninguém ligou. “Fazia parte”. Silvio estaria acima do bem e do mal. Praticamente, um membro da família –aquele tio idoso que solta opiniões absurdas, mas que a gente ignora para não dar briga.

Até que, de algum tempo para cá, o antes intocável Silvio Santos começou a levar o troco. Inclusive de seus próprios contratados: Maisa Silva, por exemplo, reclamou em alto e bom som quando o "patrão" sugeriu, em pleno palco, que ela namorasse com Dudu Camargo.

Nos últimos meses, as tretas vêm se acumulando. Em setembro de 2017, Fernanda Lima soltou um textão quando Silvio disse que "não faria nem amor nem sexo" com a apresentadora da Globo, por ela ser magra demais.

Em seu programa de domingo passado (3), Silvio disse que Pabllo Vittar era bicha. A cantora, que não se incomoda com rótulos, tirou de letra e retrucou, durante uma entrevista antes da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: "Não sou bicha, sou bichona, sou bichérrima! Viva as bichas!".

Com Preta Gil, foi diferente. A cantora esteve no SBT na última terça (5), participando de um episódio do Jogo das 3 Pistas. Silvio disse, durante a gravação, que ela estava mais gorda do que antes, mas "ainda bonita". Segundo testemunhas presentes, a esfuziante Preta travou, e deixou a emissora bastante chateada.

São episódios como esse que fizeram com que Gaby Amarantos, escrevesse nesta quarta (6), em seu perfil no Twitter, uma crítica direta a Silvio: "Sério que vcs acham Silvio Santos ídolo? O cara fez a gente crescer vendo-o ridicularizar negros/mulheres/gays/plus e ganhar mídia com isso. Cês tão mal de ícone viu, ñ dá mais pra normalizar isso!” (sic)

Como sói acontecer, seguiu-se uma acalorada discussão. Muitos internautas apoiaram a paraense. Outros lembraram que Silvio é um mito, que a própria Gaby já havia se declarado fã dele em outras ocasiões, etc. etc.

Silvio Santos tem 87 anos, mas não é só por causa da idade avançada que dificilmente irá mudar seu comportamento. Ele é, literalmente, o “patrão”. Ao contrário de William Waack ou Roseanne Barr, não tem superiores que possam demiti-lo. Vai continuar dizendo o que quiser.

Só que, de agora em diante, também vai ouvir o que não quer. Piadinhas machistas, racistas, homofóbicas e preconceituosas em geral não passam mais batido. Ninguém está está autorizado a fazê-las, nem mesmo um ícone.

O apresentador pode estar dando risada disso tudo. No entanto, justamente na semana em que deveria estar sendo celebrado, ele é o alvo de algumas das críticas mais pesadas de sua longa carreira. Os tempos mudam. E os tempos de Silvio Santos, ao que parece, estão ficando para trás.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem