Celebridades
Descrição de chapéu Eleições 2020

Kid Bengala, Mionzinho, Chiquinho Scarpa e mais famosos fracassam nas eleições

Confira como foi desempenho de algumas celebridades

O ator pornô Kid Bengala - Divulgação
São Paulo

Muitos famosos e celebridades resolveram se candidatar nas eleições municipais em 2020. Porém, quase nenhum deles foi eleito. Apenas Thammy Miranda (PL) se deu bem e garantiu uma das 55 cadeiras da Câmara de São Paulo. O ex-radialista Eli Corrêa (DEM) também garantiu vaga em São Paulo. E foi só.

O cantor do grupo Fat Family Celinho (PTB) não entrou na Câmara de São Paulo. Ele garantiu apenas 900 votos. Chiquinho Scarpa (PSD) foi minimamente melhor, teve pouco mais do que 1.000 votos, e não entrou também na próxima legislatura da capital paulistana.

Número semelhante foi o que obteve o ator pornô Kid Bengala (PTB). Não se elegeu para a Câmara em São Paulo. A cantora Neném (Pros) foi outra que naufragou ao receber menos do que 1.000 votos e ficar de fora nas eleições paulistanas. Com 3.400 votos, Renata Banhara (Republicanos), que tentava sua segunda eleição, não conseguiu se eleger em São Paulo.

Victor Coelho (Novo), o Mionzinho da TV, não entrou na Câmara ao receber pouco mais do que 2.000 votos. Mais uma celebridade que fica na vontade de integrar a Câmara Municipal de São Paulo.

Na cidade de Sorriso, em Mato Grosso, Marcos Harter (Solidariedade), cirurgião e ex-participante de realities, acusado de agredir uma participante no BBB 17, não foi eleito. Teve menos do que 500 votos.

Na Grande SP, o cenário não muda. A modelo Fernanda Lacerda (PSDB), conhecida como Mendigata do extinto programa Pânico na Band, além do médico e apresentador de TV Dr. Rey, só conseguiram ficar como suplentes. Ela teve 143 votos em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo). Rey, pelo Podemos, em Vargem Grande Paulista, foi outro que não conseguiu entrar direto ao obter 517 votos.

Leiliane (PL), conhecida como Mulher Maravilha ao socorrer um caminhoneiro no acidente que matou Ricardo Boechat, também não se elegeu em São Paulo. No Rio, Verônica Costa (DEM), conhecida como Mãe Loira do Furacão 2000, foi eleita e irá para o seu sexto mandato.

BANCADA DOS EX-ATLETAS

Quando o assunto são os ex-atletas, a situação não muda. Maurren Maggi (DEM), que já havia concorrido ao Senado em 2018, tentou sair vereadora, mas os 6.228 votos não foram suficientes para a Câmara de São Paulo. Diego Hypolito (PSB) só recebeu 3.786 votos e foi outro a naufragar na cidade.

O ex-jogador de futebol Marcelinho Carioca (PSL) não se elegeu vereador na capital paulista e voltou a colecionar fracassos na carreira política. Foram 7.574. Outro ex-jogador do Corinthians também não foi eleito. Dinei (Republicanos) garantiu apenas 2.960 votos e ficou de fora em São Paulo.

Ex-marido da ex-panicat Juju Salimeni, o fisiculturista Felipe Franco (PODE) ficou como suplente em São Paulo ao conseguir pouco mais do que 18.800 votos.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem