Televisão

De Mauro Naves a Monalisa Perrone: relembre as mudanças nos telejornais brasileiros

Âncoras trocaram Globo por CNN Brasil; outros foram demitidos em polêmicas

Monalisa Perrone trocou a Globo pela CNN
Monalisa Perrone trocou a Globo pela CNN - Divulgação
São Paulo

O ano de 2019 foi de muitas mudanças nos telejornais brasileiros. Âncoras e repórteres identificados por anos com a Globo deixaram a emissora. Alguns deles assinaram com a concorrente CNN Brasil, canal que começa a operar no país em março de 2020.

Outros foram demitidos ou pediram demissão por envolvimento em situações polêmicas, caso de Mauro Naves e Dony de Nuccio. A CNN também contratou nomes de outras emissoras, como Reinaldo Gottino, da Record. Já Glenda Kozlowski foi para o SBT.

Teve ainda quem saiu da Globo e se afastou da TV, caso de Ivan Moré e Mariana Ferrão. Relembre as principais mudanças:

DA GLOBO PARA A CNN

Queridinhos da Globo, o casal de repórteres Phelipe Siani, 34, e Mari Palma, 30, foi o primeiro a anunciar a troca da emissora carioca pela CNN Brasil, em julho. No novo canal, eles vão comandar juntos programas diários.

Em setembro, foi a vez de Monalisa Perrone revelar a sua mudança para a CNN Brasil. Depois de 20 anos na Globo e cinco no comando do telejornal Hora Um, que passa durante a madrugada, a jornalista foi para a concorrente para ancorar um telejornal em horário nobre. 

Também em setembro, Cris Dias foi anunciada pela CNN como a sua nova contratada. Após 13 anos na Globo, ela foi demitida da emissora em abril e planejava se dedicar ao seu canal no YouTube, o Dias de Cris. Mas, quando recebeu o convite do novo canal, afirmou que não tinha como dizer não à proposta de trabalho. Cris Dias comandará boletins esportivos e também participará de todo o noticiário do canal.

Também foram contratados pela CNN, como Evaristo Costa e William WaackLonge do "Jornal Hoje" desde julho de 2017, Costa volta à TV pela CNN Brasil no comando de um programa semanal, apresentado direto dos estúdios da emissora em Londres. O apresentador, que mora na Inglaterra há dois anos, estará à frente de uma revista eletrônica que vai mesclar jornalismo e entretenimento.

Já Waack vai comandar um telejornal no horário nobre com o "apoio de comentaristas de política e economia e convidados diversos, que debaterão os temas mais relevantes do Brasil e do mundo", disse a emissora. 

Em novembro de 2017, Waack foi afastado da bancada do Jornal da Globo, após ser acusado de racismo. Em vídeo publicado na internet, ele afirmava, irritado, que o barulho de uma buzina é "coisa de preto". Após, a demissão, ele passou a fazer vídeos opinativos e jornalísticos no YouTube

CONFLITOS DE INTERESSES

Depois de 31 anos na Globo, o repórter Mauro Naves saiu da emissora em julho após ter tido o seu nome envolvido no caso em que Neymar foi acusado de estupro e agressão por Najila Trindade. Ele foi afastado do trabalho inicialmente em junho por, segundo a Globo, ter tido atitudes que contrariam “a expectativa da empresa sobre a conduta de seus jornalistas."  

O motivo foi em razão do repórter ter passado o contato do pai de Neymar a José Edgard Bueno, advogado que trabalhava para Najila Trindade.  Na ocasião do afastamento, a Globo afirmou que, "em sua defesa, o jornalista disse que se limitou a repassar os contatos do pai do Neymar para o advogado, a quem já conhecia, porque esperava obter a história com exclusividade —e que quando o assunto se tornou público, avaliou que sua participação não teria relevância."

Em julho, a emissora encaminhou nota em que confirmou a saída de Naves da empresa.​ Já em agosto foi a vez Dony de Nuccio, que apresentava o Jornal Hoje, pedir demissão da Globo. A decisão aconteceu após ter sido revelado que ele mantinha contratos com o banco Bradesco para produção de conteúdo. Segundo o site Notícias da TV, ele teria recebido R$ 7 milhões, em dois anos, para fazer vídeos, cartilhas e palestras.  

“Não tinha conhecimento de que os tipos de serviços prestados pela empresa à qual estava ligado contrariavam normas da Globo. Reitero que minha função não era negociar valores com clientes, mas sim trabalhar na concepção dos projetos e em seu conteúdo”, afirmou o jornalista na ocasião. 

No fim de outubro, chegaram a circular na mídia informações que Dony de Nuccio estava prestes a fechar contrato com o SBT para comandar um reality show. Informação que não se confirmou até a conclusão deste texto. 

MAJU COUTINHO NO JORNAL HOJE

Com a saída de Dony de Nuccio, a Globo promoveu mudanças no Jornal Hoje. Após 16 anos seguidos à frente do telejornal, Sandra Annenberg deixou o noticiário no dia 13 de setembro. Ela assumiu a apresentação do Globo Repórter ao lado de Gloria Maria, já que Sérgio Chapelin anunciou a sua aposentadoria.  

Maria Júlia Coutinho foi para o lugar de Sandra no Jornal Hoje. O telejornal mudou cenário e formato para receber a nova âncora, que passou a fazer a apresentação em pé. "Busco uma comunicação fluída da notícia, uma linguagem mais conversada. Já estava acostumada a ficar de pé, na previsão do tempo. Para mim, essa possibilidade de movimentação facilita a comunicação", disse a jornalista.

Já o programa Como Será?, que também era comandado por Sandra Annenberg, foi cancelado pela Globo após cino anos no ar. Segundo a própria emissora, uma nova programação ainda será anunciada para as manhãs de sábado, mas não foi informado quando isso deverá ocorrer. Parte da equipe teria sido demitida.

MAIS MUDANÇAS

Além de nomes da Globo, a CNN também contratou jornalistas e apresentadores de outras emissoras. Um dos principais nomes foi Reinaldo Gottino, que apresentava o Balanço Geral na Record. Ele comandará um programa diário, ao vivo, no final da tarde e início da noite. 

Com a saída dele, Geraldo Luís voltou para o Balanço Geral São Paulo. Sabrina Sato vai assumir em janeiro o Domingo Show. A CNN contratou também Daniela Lima, que era editora da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, e âncora do Roda Viva, da TV Cultura. 

O ano teve ainda a saída de Glenda Kozlowski da Globo após 23 anos na emissora. A jornalista anunciou menos de um mês depois de deixar o canal carioca que vai apresentar um reality show no SBT. 

Ivan Moré foi outro a sair da Globo depois que perdeu a posição de apresentador do Globo Esporte para Felipe Andreoli. A contratação do jornalista pela Record já estava certa, mas Moré disse que preferiu, no momento, investir em outras plataformas, embora não descarte uma volta à TV. 

Além deles, também deixaram a Globo Fernando Rocha e Mariana Ferrão –o programa Bem Estar se tornou um quadro dentro do Encontro com Fátima Bernardes– e o comentarista de F-1 Reginaldo Leme.  No fim do ano, Rodrigo Alvarez e Sandra Passarinho também anunciaram que não fazem mais parte do quadro de funcionários da emissora carioca. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem