Televisão

Mari Palma e Phelipe Siani comandarão juntos programas diários na CNN Brasil

Casal foi confirmado pela nova emissora nesta segunda-feira (22) após saída da Globo

Mari Palma e Phelipe Siani serão apresentadores na CNN Brasil
Mari Palma e Phelipe Siani serão apresentadores na CNN Brasil - Divulgação
São Paulo

Depois de muitos rumores após a saída da TV Globo, o casal de jornalistas Mari Palma, 30, e Phelipe Siani, 34, foram confirmados oficialmente como novos apresentadores do canal CNN Brasil, que estreia no país entre o final de outubro e começo de novembro.

Segundo nota oficial divulgada pela CNN Brasil, a ideia é que os dois comandem juntos programas diários no canal e nas demais plataformas da emissora, como era o especulado por diversos veículos.

A contratação de Mari Palma e Phelipe Siani, também segundo a nota, é uma estratégia para atrair um maior número de jovens para consumirem todos os conteúdos que serão produzidos nas plataformas do canal que chega ao Brasil.

“Ser um dos âncoras do maior canal de notícias do mundo é algo que me desperta um frio na barriga, fundamental para os desafios que o jornalismo tem daqui pra frente”, conta Siani.

Mari Palma brinca dizendo que nunca imaginou ser apresentadora da CNN e disse que não vê a hora de começar a colocar a mão na massa de fato. “Se um dia me dissessem que eu seria apresentadora da CNN, eu jamais acreditaria. Não tenho nem roupa pra isso! Brincadeiras de lado, não vejo a hora de botar a mão na massa e fazer parte desse projeto que eu já sinto tanto orgulho”.

Além do casal, os jornalistas William Waack, 66, e Evaristo Costa, 42, já foram confirmados como apresentadores da emissora. Douglas Tavolaro, fundador do canal no país, diz que o objetivo é juntar uma seleção de grandes nomes do jornalismo brasileiro.

“Mais dois grandes talentos chegam ao time da CNN Brasil e o futuro canal começa a tomar corpo. Motivo de muito orgulho poder contar com profissionais reconhecidamente tão competentes. O objetivo é reunir uma seleção de grandes nomes do jornalismo brasileiro”.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem