Televisão

Igor Fernandez, o Luan de 'Bom Sucesso', quer ser o 'Bradley Cooper brasileiro' e ganhar Oscar

Ator quer mostrar versatilidade e habilidades na dança, no circo e em direção de filmes

Igor Fernandez, ator que vive Luan em 'Bom Sucesso' - Thiago de Lucena/Divulgação
Leonardo Volpato
São Paulo

Intérprete do garoto Luan, em “Bom Sucesso” (Globo), o mineiro Igor Fernandez, 23, sonha alto. Estreante em novelas, o ator afirma quer aproveitar a oportunidade para mostrar toda a sua versatilidade adquirida com quatro anos de balé e com sua formação em circo. Entre as principais habilidades circenses estão os malabares, a palhaçaria, a perna de pau, o equilibrismo e os números com fogo. 

"No futuro eu quero ir por todos os caminhos. Quero ser quase um Bradley Cooper brasileiro”, afirma Fernandez, sobre o ator americano que atua, produz e canta. Apesar de jovem, o ator conta que já escreveu peças de teatro e dirigiu alguns filmes –o primeiro curta foi aos 15 anos. 

"Tenho essa coisa de seguir meus sonhos de criança. Meu primeiro curta foi parar em festivais, deu uma repercussão boa. Não penso em focar só na atuação, vou para onde a maré me levar. Só pararei quando ganhar um Oscar, seja ele qual for”, diz.

Para dar vida a Luan, um garoto que não consegue arrumar emprego e que sofre pressão dos pais por conta disso, Igor foi viver de perto a situação de jovens de periferia. Para isso, usou como laboratório a poesia, outra habilidade que ele acabou adquirindo.

"Entre fevereiro e abril deste ano fui acompanhar nos metrôs os artistas de rua. Eles fazem poemas dentro dos vagões e eu me interessei. Comecei a escrever as minhas poesias autorais e até hoje uso algumas delas no roteiro e nas falas do personagem", relembra o ator.

O personagem Luan é muito parecido com Fernandez, o que ajuda a dar mais veracidade nas atuações. "Ele é de periferia, tem dificuldades, não tem muitos investimentos, tem uma mãe que o cobra para ajudar em casa e é um jovem sonhador. Ele é do bem. Correr atrás dos sonhos combina comigo", completa. 

Por mais que não saiba o que pode ocorrer no futuro com relação a novos projetos, Fernandez diz que aproveita o hoje. E trabalhar com o que ama e com pessoas que são referências para ele ajuda. “Dentro do elenco criei família. Lucas Leto [personagem Waguinho] faz a primeira novela dele e demos as mãos para aprender juntos. Com os mais experientes, tenho amizade com Antonio Fagundes [Alberto] que me dá dicas. Eu me espelho em todo mundo."

Antes de encarar a primeira novela, porém, Fernandez atuou na minissérie da Record, Lia (2018), na qual ele interpretou um dos filhos da protagonista. Esse trabalho, segundo o ator, o ajudou a chegar preparado naquela que é a sua maior chance na carreira.

"Aprendi técnicas mesmo, a como me portar, a forma de falar. Como tenho experiência de circo, de dança, tive que me posicionar de outra maneira para a câmera da televisão. Foi bom, pois cheguei à ‘Bom Sucesso’ com destaque bacana”, opina.

O circo, aliás, chegou na vida dele aos 15 anos. Justamente na época em que ele decidiu que queria viver da arte. Agora com sucesso no horário nobre da Globo, Fernandez conta que já percebe que seus fãs aumentaram.

"Estou aprendendo a me acostumar [com a fama]. Nunca tive. Ando de ônibus no Rio e pedem para tirar foto, outros dão pitacos sobre o personagem. Estou até saindo mais cedo e me programando com base no horário das outras pessoas. Mas está sendo prazeroso”, revela. “Tem sido um show de surpresas.”

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem