Televisão

Armando Babaioff quer que público sinta culpa por achar Diogo, de 'Bom Sucesso', engraçado

Vilão da trama das 19h da Globo diz que personagem é 'psicopata tupiniquim'

Armando Babaioff
Armando Babaioff - Vinícius Mochizuki/Divulgação
Cris Veronez
Rio de Janeiro

O ator Armando Babaioff, 38, estreou seu primeiro vilão há quase três meses, mas já foi suficiente para fazer todos esquecerem seu bom-moço Ionan, que interpretou em “Segundo Sol” (2018, Globo). Na pele do inescrupuloso Diogo, de “Bom Sucesso” (Globo), ele desperta a raiva —e um pouco de risada— do telespectador. 
 
“Ouço de tudo… Desde gente que quer dar na minha cara até gente que acha engraçado. Esse personagem vai para um lugar onde posso brincar muito, principalmente com a vilania”, diz o ator, que optou por dar uma pitada de humor ao personagem, “não só para fazer graça, mas para fazer o público sentir culpa por achá-lo engraçado".

Diogo tem objetivo claro na trama: ficar com a herança do sogro, Alberto (Antônio Fagundes), que está doente. Logo no início da trama, o advogado conseguiu ser inserido no testamento, mas não contava com a súbita melhora de Alberto, que teve ajuda de Paloma (Grazi Massafera). Por isso, ele fez de tudo para se livrar dela. 

Depois de cometer algumas maldades, Diogo terá agora uma possível disputa pelo amor de Gisele (Sheron Menezzes). Na última sexta (11), o ator Marcello Melo Jr., 31, entrou na trama como o jovem Yuri, e promete estremecer a relação de Gisele e Diogo. 

 

Numa breve análise do seu personagem, o ator afirma: “Ele é um psicopata brasileiro cafona. As referências dele são as referências que todo brasileiro tem. Até a cueca vermelha dele, a gente já viu em algum lugar. Ele se comporta como um típico brasileiro que quer fazer parte da alta sociedade, mas que não tem jeito, modos, nada."

Uma das cenas que mais despertou a revolta dos telespectadores foi quando ele transou com a mulher, Nana (Fabíula Nascimento) desacordada e alcoolizada. “Diogo acha que isso é normal, porque é marido dela. Existe o machismo, mas em primeiro plano tem a psicopatia, a amoralidade, a ausência de culpa. Então é muito pior.”

SEM MEDO DE DESAFIOS

Encarar o primeiro vilão da carreira não foi motivo de medo para Armando Babaioff, que estreou na TV em 2006, como o personagem Felipe de “Páginas da Vida” (Globo), novela de Manoel Carlos. Além do sucesso na TV, Babaioff também faz parte do elenco do espetáculo “Tom na Fazenda”, que faz turnê por todo o Brasil e já foi para Montreal, no Canadá —tudo sem patrocínio.

“O objetivo da peça não é fazer dinheiro. É mostrar o que os artistas brasileiros pensam desse momento. A peça dialoga muito (...) Não sei pintar, não sei cantar, não sei escrever. A única coisa que sei fazer é subir num palco e dizer o que penso do mundo. É nesse lugar que sinto que tenho a minha responsabilidade social.”

Babaioff agora está produzindo a peça “A Estrada dos Passos Perigosos”, do mesmo autor de “Tom Na Fazenda”, o canadense Michel Marc Bouchard. Ele lhe cedeu os direitos autorais.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem