Zapping - Cristina Padiglione

Irandhir Santos volta ao ar em 'Pantanal' com dois personagens

Ator será Joventino, pai de José Leôncio, papel que foi de Cláudio Marzo há 31 anos

Irandhir Santos
Irandhir Santos como Joventino na novela 'Pantanal' - João Miguel Jr./Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Quem viu a novela "Pantanal" original, há 31 anos, na extinta Rede Manchete, há de se embaralhar com a tentativa de identificar no remake em produção pela Globo alguns dos atores viveram esses mesmos personagens em 1990. Embora a maioria dos papéis encontre pares entre as duas versões, há alguns desencontros entre intérprete e personagem na leitura atual.

Irandhir Santos, por exemplo, que a coluna traz nesta foto inédita, será o peão Joventino, interpretado por Cláudio Marzo em 1990, na primeira fase do folhetim de Benedito Ruy Barbosa . Mas Irandhir será também José Lucas de Nada, personagem que foi de Paulo Gorgulho naquela ocasião.

Em 1990, Gorgulho foi José Leôncio jovem, missão que agora caberá a Renato Góes. E Marzo se repetiu em três personagens: Joventino na primeira fase, e José Leôncio e Véio do Rio na segunda etapa.

Na produção atual, no entanto, José Leôncio jovem e José Lucas não serão vividos pelo mesmo ator, mas ficará claro que o segundo é um herdeiro bastardo que reaparece na fazenda da família, trazendo a semelhança com o velho Joventino, e não com Leôncio, como aconteceu há 30 anos.

​Já o Véio do Rio, que representa a alma de Joventino que passeia pelos rios do Pantanal e vira sucuri, será agora de Osmar Prado, e não de um Marcos Palmeira envelhecido, como fizeram com Marzo em 1990. Palmeira conhece bem todas essas linhas, já que foi Tadeu, filho de Leôncio, há 31 anos, papel que o projetou definitivamente para a galeria dos grandes talentos.

No remake, Tadeu, filho bastardo de Leôncio com Filó (Jussara Freire em 1990 e Dira Paes na versão atual), será José Loreto.

Se pandemia e chuvas não atrapalharem os planos da Globo, a nova "Pantanal" estreia em 14 de março, sucedendo a ótima "Um Lugar ao Sol", de Lícia Manzo, que infelizmente não recebeu da Globo metade da divulgação que o enredo rural vem merecendo.

O remake de "Pantanal" é o primeiro projeto encabeçado pela nova direção de entretenimento da Globo, na voz de Ricardo Waddington, com José Luiz Villamarim na direção de gênero de teledramaturgia. Já "Um Lugar ao Sol" foi a última novela feita sob a gestão de Carlos Henrique Schroder no comando do entretenimento, com Silvio de Abreu na direção de teledramaturgia.

"Pantanal", na versão 2022, tem direção artística de Rogério Gomes, o Papinha, e texto de Bruno Luperi, neto de Benedito Ruy Barbosa, responsável pela adaptação.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem