Zapping - Cristina Padiglione

TV Brasil compra mais uma novela da Record

Rede pública do governo federal exibirá remake de 'Escrava Isaura'

Isaura (Bianca Rinaldi) em "A Escrava Isaura" (Record)
Isaura (Bianca Rinaldi) em "A Escrava Isaura" (Record) - Divulgação/Record TV
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Após pagar R$ 3,2 milhões pela novela bíblica "Os Dez Mandamentos", de 2015, a TV Brasil, rede pública do governo federal, comprou mais um folhetim da Record TV, rede pertencente a Edir Macedo, apoiador do presidente Jair Bolsonaro.

Nesta quarta-feira (12), a TV Brasil põe no ar, às 20h, a versão da Record de "Escrava Isaura", produzida em 2004, com Bianca Rinaldi e Leopoldo Pacheco. A direção-geral coube ao mesmo Herval Rossano (1935-2007) que comandou a versão original, com Lucélia Santos, adaptada por Gilberto Braga em 1976.

A TV Brasil justifica a exibição alegando que "Os Dez Mandamentos" fez crescer a audiência do canal, progresso que a emissora informou ser de 25%. Além de a produção bíblica ferir a premissa de estado laico, cabe perguntar: qual a utilidade social ou educacional de levar a uma emissora sustentada por dinheiro público uma produção que já teve várias oportunidades de ser vista em outra TV aberta?

A TV Brasil, assim como a TV Cultura, costuma comprar produções de outros canais, mas não da TV aberta. Em geral, os canais públicos brindam sua plateia com conteúdos até então restritos a serviços pagos, dando-lhe a oportunidade de assistir ao que ainda não pode ver em emissoras por assinatura.

Os últimos capítulos da saga de Moisés, já reprisada pela Record por mais de duas vezes, estarão na tela da TV Brasil nesta segunda (10) e terça-feira (11), às 20h30.

Já "Escrava Isaura", romance de Bernardo Guimarães, ganhou assinatura de Tiago Santiago e Anamaria Nunes na Record.

No entender do diretor de Conteúdo e Programação da EBC, Denilson Morales, "a nova atração também reforça um dos pilares da Empresa [Brasileira de Comunicações], que é o de fortalecer a valorizar as produções nacionais".

Morales conta que o Comitê de Programação e Rede da EBC selecionou a novela entre diversos conteúdos prospectados por se tratar de um remake, gravado em 2004, de uma das novelas de maior sucesso da televisão brasileira e mundial, que em outubro de 2021 completou 45 anos desde a estreia."

A data não se refere, no entanto, ao produto comprado pela emissora, mas sim à exibição da versão original na Globo, primeira a abrir as portas ao mercado brasileiro de audiovisual no mundo todo, tendo sido exportada para mais de 80 países.

A TV Brasil adianta que vem negociando mais uma novela para este ano. Há farto conteúdo audiovisual de qualidade, brasileiro que permanece inédito para a maioria da população, por ter sido exibido em meios pagos ou veículos de alcance restrito. Não é este o caso de uma novela, gênero produzido pelas maiores redes abertas do país.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem