Zapping - Cristina Padiglione
Descrição de chapéu Emmy

Emmy: 'AmarElo' e 'Amor de Mãe' estão indicados; confira a lista

Dois documentários, novela e humorístico levam Globo e Netflix à final da premiação

Imagem de Emicida
'AmarElo', de Emicida, pela Netflix, concorre como Programa Artístico - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Dois documentários brasileiros concorrem à final do Emmy Internacional em categorias diferentes: "Cercados", produção da Globo exibida pelo GloboPlay sobre o trabalho da imprensa no governo Bolsonaro, com foco na pandemia, está entre os finalistas como Melhor Documentário de fato.

"Emicida: AmarElo - É Tudo Pra Ontem", produção feita para a Netflix, foi indicado na categoria Melhor Programação Artística, ao lado de títulos da França, do Japão e do Reino Unido.

Mais uma vez, a Globo tem uma novela sua entre as finalistas ao prêmio. Mesmo com as dificuldades de produzir folhetins durante a pandemia, a emissora emplacou "Amor de Mãe", de Manuela Dias, com direção de José Luiz Villamarim, entre as quatro indicadas, competindo com tramas de Portugal, China e Singapura.

A série "Todas as Mulheres do Mundo", homenagem criada por Jorge Furtado para Domingos Oliveira, com Emílio Dantas, foi indicada como minissérie. O título foi, na verdade, lançado no ano retrasado no streaming, mas só foi inscrito nesta edição.

E tem ainda "Diário de Um Confinado", série que Bruno Mazzeo e Joana Jabace produziram em casa, no início da pandemia, com episódios de dez minutos para o GloboPlay, que concorre na categoria de Programas curtos. O roteiro é assinado por Mazzeo, Veronica Debom, Rosana Ferrão e Leonardo Lanna.

Embora "Diário de um Confinado" seja um programa de humor, a categoria de Comédia, que já rendeu prêmios ao Brasil em anos anteriores, dessa vez ficou sem indicações brasileiras.

Atores brasileiros, que normalmente estão entre os finalistas nessa divisão do Emmy Internacional de dramaturgia, tampouco estão na lista da vez.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem