Cinema e Séries

Marcada por papéis de humor, Thalita Carauta mostra faceta dramática em 'Segunda Chamada'

Série muda de horário e será exibida mais cedo, logo após 'A Dona do Pedaço'

Thalita Carauta é a professora Eliete em 'Segunda Chamada'
Thalita Carauta é a professora Eliete em 'Segunda Chamada' - Maurício Fidalgo/Globo
Karina Matias
São Paulo

Acostumada a ser vista pelo público em personagens cômicos como a Gorete, de “Segundo Sol” (Globo, 2018), Thalita Carauta, 37, tem um novo desafio em “Segunda Chamada”, série da Globo que fala sobre os dramas e desafios de professores e alunos de uma escola pública voltada ao ensino de jovens e adultos. 

Na história, a atriz faz a professora de matemática Eliete que, embora seja alegre e tenha um olhar bem-humorado para vida, carrega uma carga mais dramática que os seus trabalhos anteriores. "Ela tem um pouco de humor, embora não seja uma levada para piada, mas ela tem isso como estado de espírito e como maneira de resolver os problemas na escola”, afirma.

Carauta conta que nunca escolheu a comédia como prioridade na sua carreira e que isso foi aconteceu naturalmente. "Escolhi ser atriz para poder fazer tudo, todos os tipos de personagens”, diz. Ela também conta que não vê diferença em fazer drama ou humor, ambos exigem trabalho de construção do papel. "O que muda é a finalidade. Eu sei que aqui eu tenho que fazer rir, eu sei que aqui eu tenho que fazer chorar.” 

Para ela, o complicador vem de fora, ao ter que ganhar a confiança do público e dos colegas ao mostrar um lado diferente como atriz. "Quando você faz humor há muito tempo, as pessoas te veem como referência de humor. Então, é muito mais esse trabalho de provar que você também não está só no humor”, afirma. 

Ao falar sobre a importância da série abordar a educação, em um momento em que os professores são denunciados por sua atuação em sala de aula, Carauta diz que “Segunda Chamada” não é panfletária, mas provoca uma reflexão mais profunda ao mostrar a importância do trabalho dos educadores.

“É legal que a gente não toca nesse assunto: 'Estamos sendo perseguidos'. Mas mostra: 'Olha a galera que está sendo perseguida. Olha como essa galera trabalha para ter um projeto foda, como é difícil aplicar um projeto foda dentro de uma escola pública." 

MUDANÇA DE HORÁRIO

A partir desta terça-feira (21), "Segunda Chamada" será transmitida em novo horário, logo depois de "A Dona do Pedaço". Inicialmente, a série estreou após a exibição de "Filhos da Pátria", mas na terça passada (15) ela já foi antecipada, segundo a Globo, como uma homenagem ao Dia do Professor.

Oficialmente, a emissora afirma que o motivo da mudança, agora em definitivo, são ajustes na programação. O resultado da boa audiência de "Segunda Chamada", porém, teria pesado para a decisão de trocar o horário da série com "Filhos da Pátria".

Na última terça (15), quando foi exibida às 22h30, o programa sobre educação teve 23 pontos de audiência na Grande São Paulo, quase o dobro da estreia, que marcou 11,8 pontos (cada ponto equivale a 73.015 domicílios). 

No episódio desta terça-feira (22), a personagem de Thalita  Carauta terá que usar todo o seu jogo de cintura para mediar um conflito religioso entre os alunos da escola estadual Carolina Maria de Jesus.  Tudo começa quando uma estátua de Nossa Senhora Aparecida, colocada pelo diretor Jaci (Paulo Gorgulho) para proteger a unidade, desaparece ​de forma misteriosa.

Dona Jurema (Teca Pereira) e outros alunos católicos improvisam uma missa na sala de aula onde Eliete deveria ensinar matemática. Mas Pedro (Vinicius de Oliveira) e sua mulher, Márcia (Sara Antunes), que está grávida, se recusam a estar no mesmo espaço dos estudantes católicos. A professora, então, terá que se envolver e conseguir encontrar uma solução para o conflito. 

O episódio também terá um embate entre a professora Lúcia (Débora Bloch) e o empresário Arlindo (Vanderlei Bernardino). Tudo porque, ele procura a escola com o objetivo de promover um concurso de redação que escolherá um aluno da unidade para frequentar um cursinho pré-vestibular.

A vencedora do concurso é Gislaine (Mariana Nunes), que sonha em cursar medicina. Na hora do anúncio, no entanto, seu Arlindo diz o nome de Maicon Douglas (Felipe Simas). Incrédula, Lúcia decide tirar satisfações com o empresário, que revela não poder dar a bolsa de estudos à aluna. "Ela é garota de programa! Seria constrangedor", afirma ele. Só que Lúcia não deixa barato: “Constrangedor para quem? Para os alunos ou para o senhor?" 

O episódio já está disponível para assinantes no Globoplay. 

"Segunda Chamada"

  • Quando Ter., às 22h18
  • Onde Na Globo
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem