Cinema e Séries

Em 'Segunda Chamada', Hermila Guedes revive drama familiar de violência doméstica

Assim como a personagem, atriz conviveu de perto com a violência doméstica

Sônia (Hermila Guedes), da série "Segunda Chamada", da Globo
Sônia (Hermila Guedes), da série "Segunda Chamada", da Globo - Mauricio Fidalgo/TVGlobo
Karina Matias
São Paulo

Hermila Guedes, 39, reviveu um drama familiar nas gravações de "Segunda Chamada", série que estreou na última terça (8) na Globo, e que aborda a realidade da educação no Brasil, que passa por problemas tão primários como a falta de recursos básicos até outros desafios como o de evitar a evasão de alunos.

A atriz, que diversas vezes viu a mãe ser agredida pelo pai, interpreta a professora Sônia, que também é vítima de violência doméstica. "A série pode encorajar as mulheres a denunciarem esse tipo de agressão”, diz Guedes.

Muito emocionada, a atriz chorou ao lembrar do passado. Ela contou que, ao mesmo tempo em que estava familiarizada com o tema, foi muito difícil dar vida à personagem porque não queria sentir “tudo aquilo novamente”.

“Eu tive muita dificuldade. Às vezes eu não sabia se eu ia dar conta da Sônia, por tantas coisas que ela vive, emoções, sentimentos. E, principalmente, por ter uma familiaridade infeliz com a relação dela com o marido e com a violência doméstica. Em muitos momentos, eu vi a minha mãe na personagem.”

Para Hermila Guedes, a mulher não é a única vítima da violência doméstica: os filhos também sofrem. “Uma das grandes mágoas da minha vida era como amar esse homem que violentava a mulher que eu mais amo”, disse ela sobre o pai, que morreu há alguns anos.

A atriz afirmou ainda que fazer o papel a ajudou a enxergar os traumas do passado de outra forma —segundo ela, a arte “cura”. “Foi uma oportunidade incrível poder vivenciar certas coisas, por mais difíceis que sejam, para transformar."

Além da violência doméstica, a professora Sônia vive outro drama: o uso abusivo de remédios. “Pude desenvolver uma empatia com a personagem. Por mais problemas que ela tivesse, ela procurava não levar esses problemas para a sala de aula, embora nem sempre conseguisse. Foi um grande aprendizado como atriz e como pessoa.”

A atriz ficou conhecida do público em 2007, quando interpretou a cantora Elis Regina no especial “Por Toda a Minha Vida”, da Globo. Recentemente, ela voltou à tela da emissora como uma mulher vítima de abuso sexual na série “Assédio”. ​

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem