Celebridades

Alec Baldwin diz que não apertou gatilho em acidente que matou cinegrafista

Ator deu 1ª entrevista sobre a morte de Halyna Hutchins no set do filme 'Rust'

Alec Baldwin - AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O ator norte-americano Alec Baldwin, 63, falou pela primeira vez à imprensa sobre o acidente fatal no local de filmagem do filme "Rust". Em 21 de outubro, a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, morreu após ser atingida por um tiro vindo de uma arma manuseada por Baldwin, que ensaiava uma cena.

Em entrevista ao jornalista George Stephanopoulos, da emissora ABC, o ator afirma que não apertou o gatilho da arma. "O gatilho não foi apertado. Eu não apertei o gatilho. Eu nunca apontaria uma arma para alguém e puxaria o gatilho, nunca", afirmou, em trecho da conversa divulgado nesta quarta (1º).

Baldwin demonstrou espanto pela presença de munição real em um set cinematográfico. Quando perguntado como a bala foi parar no local, ele responde: "Não tenho ideia. Alguém colocou uma bala real na arma. Uma bala que nem deveria estar naquela propriedade".

Ele também se emociona ao falar sobre Halyna Hutchins, que descreve como "alguém que era amada por todos que trabalhavam com ela, adorada e admirada por todos". "Até agora, é difícil acreditar que aconteceu. Não parece real para mim", diz, sobre o ocorrido.

A íntegra da entrevista será transmitida na quinta-feira (2) na ABC News. Alec Baldwin e a produção de "Rust" enfrentam duas ações judiciais relacionadas ao tiro, ambas ajuizadas por membros da equipe. Um deles aponta como "negligente" a utilização da arma pelo ator, e outro exige reparações por "danos intencionais" e "estresse emocional" causados pelo incidente.

Na ocasião, o diretor Joel Souza também acabou ferido. "Rust", ainda sem data de estreia após diversos atrasos, é um faroeste de ação que se passa no estado do Kansas, nos Estados Unidos.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem