Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Alec Baldwin pede polícia nos sets de filmagem para monitorar armas

Ator atirou e matou acidentalmente a diretora de fotografia Halyna Hutchins

Alec Baldwin - Mark Blinch-8.set.2008/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Lisa Richwine
Los Angeles
Reuters

No momento em que Hollywood considera novas medidas de segurança após o acidente fatal durante as gravações do filme de faroeste "Rust", o ator Alec Baldwin disse nesta segunda-feira (8) que acredita que as produções de cinema e televisão deveriam contratar policiais para monitorar as armas nos sets.

Baldwin atirou e matou acidentalmente a diretora de fotografia Halyna Hutchins no último dia 21 de outubro, após ser avisado que a arma com a qual ele ensaiava no set de "Rust" no Novo México era "fria", ou seja, segura de usar, de acordo com o Gabinete do Xerife do Condado de Santa Fé.

As autoridades estão tentando determinar como uma bala de verdade foi parar na arma entregue a Baldwin. Os advogados da mulher responsável pelas armas de "Rust" disseram que ela acreditava que havia carregado a arma com balas fictícias.

Desde o incidente, produtores e membros de equipes de produção estão avaliando se novas medidas devem ser tomadas para evitar uma tragédia semelhante no futuro. Baldwin disse acreditar que as produções deveriam contratar a polícia para garantir que as armas usadas nas filmagens são seguras.

"Todo set de filme/televisão que usa armas, falsas ou não, deve ter um policial no set, contratado pela produção, para monitorar especificamente a segurança das armas", disse Baldwin no Twitter.

Outros têm pedido pela proibição de armas reais em sets de filmes e televisão. O ator Dwayne Johnson disse na semana passada que suas futuras produções usariam apenas armas de borrachas durante as filmagens.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem