Celebridades
Descrição de chapéu BBC News Brasil

Alec Baldwin foi informado de que arma era segura antes de disparo em set

Alec Baldwin disse que está cooperando com a polícia
Alec Baldwin disse que está cooperando com a polícia - BBC Brasil/ Jim Weber/ The New Mexican
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

BBC News Brasil

A arma que o ator Alec Baldwin, 63, disparou em um set de filmagem na quinta-feira (21), matando a cineasta Halyna Hutchins, 42, foi entregue ao ator por um assistente de direção que disse que a pistola era segura, de acordo com informações presentes em um pedido de busca e apreensão.

O pedido foi autorizado pela Justiça de Santa Fé, nos EUA, na sexta (22) e revelou mais detalhes sobre a morte de Hutchins durante filmagem do longa-metragem "Rust". O diretor assistente Dave Halls não sabia que a arma tinha munição de verdade e afirmou que ela não estava carregada gritando "arma fria".

Além de Hutchins, o diretor Joel Souza, 48, que estava ao lado dela, foi atingido no ombro, mas sobreviveu. Ele foi levado a um hospital e depois liberado.

A roupa que Baldwin usava ficou manchada de sangue e a arma foram levadas como prova, assim como munições e outras armas cenográficas usadas na filmagem. Baldwin foi interrogado pela polícia, mas até agora ninguém foi formalmente acusado de algum crime por causa do episódio.

Além de protagonizar o filme —uma história de velho-oeste— o ator também era produtor do longa. Baldwin afirmou que estava cooperando totalmente com a polícia do condado de Santa Fé, no Estado americano do Novo México.

"Estou com o coração partido pelo marido dela, seu filho e todos que conheciam e amavam Halyna", escreveu Baldwin no Twitter. "Não existem palavras para descrever meu choque e tristeza envolvendo esse acidente trágico que tirou a vida de Halyna Hutchins, uma esposa, mãe e colega admirada."

PROBLEMAS NA GRAVAÇÃO

Hutchins era ucraniana e cresceu em uma base militar soviética no Ártico. Ela estudou jornalismo em Kiev e trabalhava em Los Angeles. Foi descrita como uma "estrela em ascensão" pela revista American Cinematographer em 2019.

Ela foi diretora de fotografia do filme "Arqui-inimigo", dirigido por Adam Egypt Mortimer, no ano passado, e agora trabalhava na filmagem do longa "Rust".

De acordo com o jornal Los Angeles Times, meia-dúzia de membros da equipe de câmeras do filme haviam pedido demissão algumas horas antes da tragédia por causa das condições de trabalho na filmagem, em uma praia próxima à cidade de Santa Fé.

Os trabalhadores afirmaram que o combinado era que ficassem em um hotel em Santa Fé, mas após o início das gravações eles tinham que dirigir 80 km todos os dias para ir de Albuquerque ao local das filmagens.

The fatal shooting happened on the set of the Western film Rust in New Mexico
O tiro fatal acontece no set de filmagem do filme "Rust", no Novo México - BBC Brasil/ Reuters

A BBC obteve um documento com uma lista de membros da equipe que estavam na escala para trabalhar no set naquele dia. Entre eles havia uma pessoa responsável por checar a segurança das armas, Hannah Gutierrez Reed, que trabalhava nesta função há pouco tempo, segundo o Los Angeles Times.

A arma cenográfica que Baldwin disparou tinha uma munição de verdade, de acordo com um email enviado pela Aliança Internacional dos Trabalhadores de Palco para seus membros, diz a revista Variety.

No filme que estava sendo gravado, "Rust", Baldwin era o protagonista —um fora-da-lei cujo neto foi sentenciado à morte por conta de uma morte acidental.

Incidentes como o que aconteceu na gravação de "Rust" são muito raros. Armas de verdade muitas vezes são usadas em gravações, mas são carregadas com pentes vazios, que fazem barulho e produzem faíscas, mas não emitem um projétil.

Em 1993, o ator Brandon Lee —filho de 28 anos de Bruce Lee— morreu nas filmagens do filme "O Corvo", após ser atingido por um disparo de arma cenográfica com uma munição de verdade.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem