Celebridades

De Tatá Werneck a Alice Wegmann, atrizes lembram passado na ginástica artística

Artistas já praticaram o esporte sendo até federadas

Tatá Werneck
Tatá Werneck - Instagram/tatawerneck
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Artistas brasileiras relembraram seu passado com a ginástica artística devido aos últimos acontecimentos do esporte nas Olimpíadas de Tóquio e à conquista de Rebeca Andrade, 22, com a medalha de prata na modalidade nesta quinta-feira (29).

Em seus Stories, a humorista Tatá Werneck, 37, contou que já praticou o esporte. Ao responder à pergunta de um fã, se já havia quebrado algum osso, a atriz revelou que "fazia ginástica olímpica e vivia me machucando. E com três anos, quebrei a clavícula".

A atriz Bianca Rinaldi, 46, fez uma publicação em homenagem a Andrade e relembrou sua história com o esporte. "Quem me conhece sabe o quanto sou apaixonada por Ginástica Olímpica. Que alegria por você Rebeca Andrade menina guerreira, resiliente, persistente", escreveu.

Rinaldi teve seu primeiro contato com o esporte aos quatro anos, e aos seis passou a treinar em um clube de São Paulo. Aos 14 anos era federada e conquistou a medalha de ouro no campeonato estadual. Em 1998, ela voltou ao esporte ao interpretar a técnica Úrsula, na 3ª temporada de "Malhação".

Thais Fersoza, 39, que também participou de "Malhação", relembrou a experiência de interpretar uma ginasta em 1997. "Eu amo assistir às olimpíadas. Tenho uma história muito particular com a ginástica olímpica", começou em seus Stories.

"Quando comecei a trabalhar como atriz com 12 anos, minha personagem na Malhação era uma ginasta. Ela fazia ginástica olímpica, e era época de olimpíadas. Comecei a treinar no clube do Flamengo aqui no Rio", contou a esposa do cantor Michel Teló, 40, sobre a personagem Angela.

A atriz Alice Wegmann, 25, também relembrou sua história na modalidade. Em entrevista ao programa Encontro com Fátima Bernardes (Globo), contou que "treinava com a Jade Barbosa e a Daniele Hypólito [ex-atletas], mas só por causa do horário, porque elas eram bem mais avançadas do que eu".

Ela conta que aos oito anos, após cair da trave durante uma série de exercícios, precisou ficar internada por quatro dias, mas que não deixou o esporte por isso. "Continuei na ginástica e competi pelo Flamengo, no Campeonato Brasileiro, em duas modalidades, salto e solo. Ficamos em segundo lugar na classificação por equipes, mas acho que no individual eu fiquei em último."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem