Celebridades

Ivete Sangalo lamenta as 500 mil mortes pela Covid e diz que 'não é sobre partidos'

Posição da cantora foi criticada por internautas por ser considerada em cima do muro

Ivete Sangalo e Daniel Cady no meliponário na casa de praia da família.
Ivete Sangalo e o marido, Daniel Cady, na casa de praia da família - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Em uma postagem nas redes sociais que provocou grande repercussão, Ivete Sangalo lamentou as 500 mil mortes causadas pela Covid-19 no Brasil.

"Não é natural. Não é uma mentira. É estarrecedor pensar sobre milhares de vidas ceifadas e dores irreparáveis em torno dessas perdas", disse na noite deste domingo (20). "Não é sobre partidos, é sobre humanidade", completou.

Ivete é cobrada por fãs nos últimos meses para se posicionar em relação à pandemia e à situação política do país.

A postagem deste domingo, apesar de lamentar as 500 mil mortes, provocou críticas de internautas porque Ivete disse que "não é sobre partidos" em um momento de muitas críticas ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido) pela forma como conduz a pandemia.

"É um projeto", respondeu a influenciadora Maíra Azevedo, conhecida como Tia Má, do Encontro com Fátima (Globo). "Ivete, infelizmente é sobre partido sim, é sobre ter lado, é sobre não ter medo de dar nomes aos bois", escreveu um internauta.

Em maio, durante uma live em comemoração ao Dia das Mães, a cantora protestou contra as mortes da pandemia.

A manifestação foi feita em uma pausa da live para homenagear o ator e humorista Paulo Gustavo, 42, de quem ela era amiga. Ele morreu vítima da Covid-19, após quase dois meses de internação e várias complicações.

"Ele se foi e a gente perdeu a presença dele", lamentou. Para Ivete, o artista levou alegria para as pessoas, mas o seu maior propósito foi aproximar o país inteiro da dor da perda.

"Não se pode pensar nos filhos de alguém como números. Isso não dá, é muita falta de respeito", criticou Ivete, também sem citar nomes na ocasião. "O que poderia ser mais impactante do que milhares de vidas perdidas? Quanto mais de tudo isso vai precisar acontecer para que haja gestos de responsabilidade e empatia?"

Ivete fechou recentemente um acordo com a produtora Endemol Shine Brasil, a mesma do BBB, e a gravadora Universal Music para apresentar a versão brasileira do reality show The Masked Singer (O Cantor Mascarado). O formato ainda não tem destino certo, mas a Globo tem prioridade na oferta da nova produção, prevista para acontecer só em 2022.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem