BBB18

Kaysar se sente sufocado por Patrícia e internautas apontam relação abusiva

Sírio pediu para que confinada voltasse para sua cama e parasse com investidas

Kaysar e Patrícia trocam carícias embaixo do edredom
Kaysar e Patrícia trocam carícias embaixo do edredom - Reprodução/Globo

São Paulo

Na madrugada desta terça (6), Kaysar se mostrou desconfortável com Patrícia e internautas disseram que a líder da semana estaria assediando-o.

Deitados no chão do quarto, eles trocaram tantas carícias que acordaram Caruso. Ele dormia na cama da líder e voltou para a casa principal. O sírio, então, interrompeu os beijos e pediu que Patrícia parasse e voltasse para sua cama.

"Não adianta. A gente se quer", insistiu ela. Kaysar chegou a se sentar e a gritar: "Por favor, faz o que estou te falando. Por favor, vai para sua cama. Deixa de conversa. Chega."

A "sister" respondeu dizendo que só queria ficar perto do "brother" e que não havia nenhum problema nisso. "Mas tem problema para mim. Chega, por favor", rebateu Kaysar.

O sírio acabou cedendo e a dupla voltou a trocar carinhos. Após alguns minutos embaixo do edredom e com a respiração ofegante, Kaysar questionou-a: "Mais calma?."

RELACIONAMENTO ABUSIVO

Nesta segunda (5), Patrícia chegou a perguntar para o sírio se eles não iriam ficar juntos naquela noite. Kaysar colocou a mão em seu rosto, demonstrando irritação, e a confinada disse que ele age como se ela estivesse propondo uma tortura. "É tortura, sim senhora", ele respondeu.

Os internautas estão questionando se ele se envolveu em um relacionamento abusivo e apontaram que Kaysar foi obrigado a fazer coisas contra sua vontade, como a troca de carícias e o voto em Gleici. O sírio chegou a se desculpar por votar na estudante e afirmou que fez isso porque não queria deixar Patrícia triste.

Outros usuários ainda afirmaram que Kaysar interagia com os demais participantes e era mais feliz antes de se envolver com Patrícia. Alguns ainda chamaram atenção para o fato de que a produção não deixaria o suposto assédio passar despercebido se a vítima fosse do sexo feminino.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem