Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Televisão

Camila Pitanga diz que Bebel, de 'Paraíso Tropical', lhe deu leveza e alegria

Novela de 2007 chega ao catálogo do Globoplay nesta segunda-feira

Camila Pitanga Instagram/ caiapitanga

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Com quase 30 anos de novelas, Camila Pitanga, 44, tem uma lista grande de personagens em seu currículo, mas poucos com o impacto que Bebel, de "Paraíso Tropical" (2007, Globo), teve em sua carreira. Segundo a atriz, um divisor de águas.

"Acho que Bebel saía do esteio de papéis que eu estava fazendo até o momento. Trouxe uma popularidade e inaugurou uma nova etapa de vida, um reconhecimento de crítica e de público aliado a um prazer imenso de estar fazendo", afirma a Pitanga.

Bebel era uma prostituta descolada que queria se dar bem a todo custo, mas também mostrava um lado batalhador e engraçado, que caiu na graça do público. Ao lado de Olavo (Wagner Moura), ela formou um dos casais mais emblemáticos da novela.

Para a atriz, as pessoas se conectaram com o lado cômico, mas também com a luta da personagem. "Era uma mulher que usava os recursos que tinha para poder ter conforto, para poder ter um lugar de segurança. Ela era meio ‘clown’, aquele que apronta, que dá rasteira. Era uma palhaça, tinha uma coisa de ‘palhaçaria’ gostosa."

Na época do lançamento, não havia redes sociais, mas, com a reexibição no Viva, a atriz conta que passou a receber memes e citações da personagem diariamente. "É o maior barato", diz ela, que relata ganhos pessoais, além do profissional, com Bebel.

"Talvez eu me levasse muito a sério até aquele momento, e a Bebel acabou quebrando, no bom sentido, algumas defesas, uma certa cerimônia que eu levo comigo até hoje. Ganhei leveza, alegria, ginga, que eu agradeço até hoje a Bebel."

Ainda entre os benefícios de fazer Bebel, Pitanga destaca a oportunidade de conhecer mais a fundo a vida de algumas prostitutas para formação da personagem. "Quebrei um monte de preconceitos que eu mesma tinha sobre esse trabalho. E a luta que elas têm pelos seus direitos sobre uma realidade que ainda é muito marginalizada."

Agora, 15 anos após a estreia de "Paraíso Tropical" na TV aberta, a atriz celebra a oportunidade de mostrar esse trabalho para as novas gerações. Depois de ser reprisada no canal Viva, a novela chega nesta segunda-feira (28) ao Globoplay.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem