Televisão

'Nos Tempos do Imperador': Giulia Gayoso diz que Isabel é uma incógnita

Atriz relata figurino de 10 kg e surpresa ao estudar sua personagem

Giulia Gayoso Flora Negri/Divulgação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Todos conhecemos um pouco da história do Brasil e da família imperial que governou o país no século 19. Isso não quer dizer que os atores de "Nos Tempos do Imperador" tenham tido vida fácil para interpretar esses personagens. Giulia Gayoso, 23, pelo menos, não teve.

"Estudei muito. O que conhecia era raso para quem faria a personagem. Li diversos livros que falavam sobre o Brasil no século 19, e afora também. É importante entender o que o mundo atravessava, e o que tinha acabado de passar, para compreender todo o contexto da história da personagem."

A atriz, que aos 23 anos já tem uma história longa na TV, interpreta Princesa Isabel, filha de Dom Pedro 2º e até então sua sucessora. Figura controversa, ela acabou não assumindo o posto por causa da Proclamação da República, em 1889, mas marcou seu nome na história do país assinando a abolição da escravatura.

"Nos Tempos do Imperador" mostra a princesa desde a infância até o início da fase adulta. Giulia Gayoso entrou nessa segunda fase, substituindo a pequena Any Maia, que fez a princesa nos primeiros capítulos. Para a atriz, um papel importante, mas trabalhoso, a começar pelo figurino, que pesa quase 10 kg.

Em meio aos seus estudos, Gayoso afirma que se surpreendeu com algumas coisas que descobriu da personagem, principalmente sobre sua batalha para engravidar. "A perda da sua primeira filha, a forma trágica como aconteceu, eu não fazia ideia", recorda a atriz, se referindo à morte da filha de Princesa Isabel durante o parto.

Na trama da Globo, o desejo de Isabel pela maternidade começará a ser assunto na próxima semana. Recém-casada com Gastão (Daniel Torres), ela deve retornar ao Brasil nos próximos dias, após uma temporada de lua de mel na Europa. E trará o assunto à tona antes que o marido siga para a Guerra do Paraguai.

Após estudos sobre a princesa e a conclusão das gravações, Gayoso afirma concordar com as avaliações de que sua personagem é "uma figura extremamente controversa". Uma das questões é a própria escravidão, já que há relatos de que a princesa foi muitas vezes omissa e até debochada em relação ao sofrimento negro.

"Acredito que meu sentimento se estabeleça nesse lugar de incógnita, também", afirma a atriz. "Até hoje não compreendi diversas atitudes de Isabel, e não acredito que seja algo que consigamos fazer, e nem que eu pretenda. O que sei é que, como sociedade, podemos batalhar para compreender o hoje e o que o passado nos ensinou."

Paulistana, Gayoso mora atualmente no Rio de Janeiro ou "na estrada entre o Rio e São Paulo", como costuma brincar. Começou a carreira cedo, com campanhas publicitárias ainda criança. Fez teatro e chegou a se forma dubladora. Seu primeiro filme foi "Onde Andará Dulce Veiga?" (2008) e fez várias pequenas participações na TV.

Mas foi em "Malhação - Pro Dia Nascer Feliz" (Globo, 2016) que a atriz ganhou um personagem fixo e uma legião de fãs. "Tem alguns que me acompanham desde àquela época, é um carinho único", afirma ela, que diz ter uma relação tranquila com os fãs e com as redes sociais. "Naturalmente, construí uma relação super descontraída".

"Nos Tempos do Imperador", no entanto, foi seu trabalho mais importante e mais complexo, já que foi gravado, em sua maior parte, durante a pandemia. Gayoso conta que foi um período de sentimentos mistos. Se de um lado havia o medo da doença do outro havia o alívio por estar ativa mesmo num momento tão incerto.

"Mas, com os protocolos e testes realizados quase que diariamente, abriu-se um espaço para o alívio e alegria de ter a oportunidade de trabalhar e conviver com pessoas que estavam submetidas aos mesmos protocolos que eu. Dávamos risada, dividíamos aflições, nos acolhíamos. Fez parte de um grande processo de descoberta do novo", diz.

Como resultado de todo esse momento complexo, "Nos Tempos do Imperador" chegou ao público já quase totalmente gravada. Teve, sim, alguns ajustes posteriores, que a atriz afirma terem sido tranquilos, "parte do processo", mas no geral os atores não puderam sentir o público ou suas atuações para possível adaptações.

A atriz afirma que, apesar de não ser uma prática comum nas novelas, isso não foi um problema para ela. "Faz parte do processo natural do ator ver uma cena passada, e achar que poderia fazer melhor hoje. Eu procuro ser carinhosa comigo e compreender que a Giulia deu o melhor dela, naquele momento do passado", afirma.

"E se vier algo que eu acredite que poderia ter feito de outra forma, busco aprender para fazer nos meus próximos trabalhos", completa Gayoso. Esses novos trabalhos, no entanto, continuam um mistério. A atriz afirma não ter nada em vista ou em andamento no momento, mas isso não a impede de já estar "ansiosa para novos projetos!".

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem