Televisão

Jakson Follmann confirma favoritismo e vence 3ª temporada do PopStar; Helga fica em 2º

Ex-goleiro da Chapecoense cantou 'Evidências' no duelo final

Jackson Follmann canta "Tocando em Frente", de Almir Sater, na segunda rodada
Jackson Follmann canta "Tocando em Frente", de Almir Sater, na segunda rodada - TV Globo
São Paulo

Jakson Follmann venceu a terceira temporada do PopStar, reality musical da Globo apresentado por Taís Araujo. Após três rodadas, o ex-goleiro da Chapecoense confirmou seu favoritismo e levou o prêmio de R$ 250 mil. No duelo final deste domingo (29), ele superou a atriz Helga Nemeczyk. 

"Esse prêmio é de todos. Foram dias intensos, mas que valeram muito a pena. Muito obrigado", disse Follmann, que se emocionou ao ter sua vitória confirmada. O ex-goleiro da Chapecoense foi o primeiro a se classificar para a final, após passar quase todo o programa entre as primeiras colocações. 

Follmann escolheu uma canção clássica do sertanejo, "Evidências", de Chitãozinho & Xororó, para a batalha final com a atriz Helga Nemeczyk, que empolgou os especialistas com o hit "Unbreak My Heart", de Toni Braxton. Na pontuação final, Follamnn atingiu 30,76 pontos, e Helga, 30,46 pontos. Nessa fase, era preciso receber, ao menos, nove estrelas (não só oito) para garantir a pontuação bônus, conquistada por ambos os finalistas.

Antes de o programa deste domingo (29), Jakson Follmann afirmou que não imaginava que teria um desempenho tão favorável no programa. "Meu intuito era mesmo me apresentar bem, achar uma performance bacana. Meu objetivo sempre foi me superar, já que eu sei que meu maior concorrente sou eu mesmo. Eu nunca tinha participado de nada assim, é tudo muito novo, desafiador, mas, graças a Deus, está dando tudo certo, estou superfeliz."  

No começo do programa, a apresentadora Taís Araujo explicou como seria a dinâmica da final, composta por três fases. Na primeira etapa, dois dos seis participantes que as menores pontuações na soma das notas dos especialistas, da plateia interativa, do público de casa e da estrela bônus seriam eliminados. Na segunda parte, o ranking foi zerado e os dois mais bem pontuados foram para a decisão final. 

A mesa de especialista foi composta por Maria Rita, Fafá de Belém, Preta Gil, Tony Tornado, Projota, Dudu Nobre, que haviam participado nesta temporada da bancada, além do jornalista Artur Xexéo e Marcelo Soares, da gravadora Som Livre, e dos estreantes Emílio Dantas e Aline Rosa. 

PRIMEIRA E SEGUNDA FASES

Danilo Vieira, Eriberto Leão, Helga Nemeczyk, Jakson Follmann, Totia Meireles e Yara Charry foram os seis participantes que entraram neste domingo para disputar a grande final da terceira temporada do PopStar.

Ao término da primeira rodada, Follmann terminou em primeiro lugar com 30,64 pontos, seguido por Helga (30,56 pontos), Yara (30,43 pontos), Totia (30,38 pontos), Eriberto (30,32 pontos) e Danilo (30,21 pontos). Com isso, Eriberto Leão e Danilo Vieira foram os eliminados. 

Entre a primeira e segunda fase, o coapresentador João Cortez fez uma surpresa no palco ao cantar "Anunciação", de Alceu Valença, com os participantes eliminados desta edição: Letícia Sabatella, Nany People, Babi Xavier, Claudia Ohana, George Sauma, Marcelo Serrado e Robson Nunes.

Na segunda etapa, Yara Charry e Totia Meireles ficaram nas últimas posições, com 30,39 pontos e 30,31 pontos, respectivamente. Follmann manteve a liderança com 30,76 pontos, e Helga, com 30,45 pontos.

"Estou tão feliz. Chegar aqui até a essa rodada é incrível. Tem muita gente que não gostou ou que adorou,  mas eu estou muito feliz de estar aqui", disse Meirelles após deixar a competição. 

Todos os jurados foram bastante generosos com os competidores, até mesmo Maria Rita deu uma nota dez para Nemeczyk, que cantou "Como Nossos Pais", de Elis Regina. "Falo como filha. Fiquei com medo que houvesse um exagero pelo caminho, mas foi tudo na medida certa, feito com respeito", afirmou a cantora. Tony Tornado manteve o título de mal-humorado e distribuiu poucas estrelas e raras notas dez. 

Antes da batalha final, o programa preparou uma homenagem para Taís Araujo com depoimentos dos competidores destacando a importância dela ao dar apoio moral e sempre fazer comentários positivos durante os momentos mais difíceis dos participantes na temporada. 

 

TROPEÇOS E HISTÓRIAS DE VIDA

Com um elenco mais maduro do que os dos anos anteriores, o PopStar teve nomes fortes da TV brasileira que acabaram caindo no decorrer da temporada. Foi o caso do ator Marcelo Serrado, que havia recusado convite nas duas temporadas anteriores, e das atrizes Letícia Sabatela, Claudia Ohana e Nany People

Essa última deixou o programa no último domingo, junto de Robson Nunes e George Sauma. Babi Xavier, que surpreendeu ao longo da temporada pela potência de sua voz, deixou o PopStar na semana anterior, após cantar "Nós", de Cássia Eller, com direito a uma coreografia de flamenco. 

A saída da atriz foi apontada por Taís Araujo como uma das eliminações surpreendentes que aconteceram ao longo do programa, assim como a de Marcelo Serrado e Claudia Ohana.  "Esse programa está uma loucura, nada é previsível. Já Follmann finalista, ela afirma que já esperava sim. 

"Ele canta bem, canta bonito, tem uma história de vida e de superação incrível, que faz parte do jogo também. A jornada da pessoa, a vida da pessoa importa. Não é um programa sobre a melhor voz, é um programa sobre a melhor jornada. E ele, a gente não pode negar que tem uma jornada linda, especial."   

O atleta, que sobreviveu ao acidente aéreo que matou 71 pessoas, incluindo jogadores e comissão técnica do time, em novembro de 2016, concorda que sua historia é "marcante, fora do normal", mas ressalta que nunca se vitimizou ou usou essa parte de sua vida para sensibilizar o público. 

"Se fizesse isso [se vitimizar] não conseguiria ser eu mesmo. Quero mostrar meu canto, a pessoa humilde e sincera que sou", afirma Follman. Ele já tinha afirmado, no início do programa, que a música foi de extrema importância em sua recuperação após o acidente, que levou a perda da perna direita. 

"O PopStar é tão legal porque ele está além da competição. Ele é sobre relação, sobre o caminho que a pessoa vai seguir, é sobre as mãos que são dadas nos bastidores, o quanto um ajuda o outro... Tem muita coisa além do prêmio final", avalia Taís Araujo, que não descarta voltar para uma quarta temporada. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem