Tony Goes

Fábio Porchat encerra seu programa sem saber para onde vai

Apresentador anunciou que deixará a Record até o final de 2018

Retrato do humorista Fabio Porchat no Teatro Bradesco
Retrato do humorista Fabio Porchat no Teatro Bradesco - Folhapress

Em abril passado, Jô Soares foi ao Programa do Porchat (Record). Deu uma ótima entrevista, tão longa que precisou ser exibida em duas noites separadas. Foi um momento que entrou para a história da nossa TV.
 
O encontro entre os dois humoristas também teve um clima de passagem de bastão. Como registrei aqui no F5, parecia que Jô via em Fábio Porchat –cuja carreira ele ajudou a deslanchar em seu antigo programa na Globo– seu sucessor no trono dos talk shows.
 
Esta sucessão acaba de ser adiada. Nesta segunda (1º.), Fábio Porchat anunciou que deixará a Record no final do ano. O Programa do Porchat vai terminar, depois de pouco mais de dois anos no ar.
 
Sem cuspir no prato em que ainda está comendo, Fábio Porchat não revela as razões que o levaram a abreviar seu contrato com a emissora, que ainda tinha mais um ano pela frente. Mas circulam comentários de que ele estaria insatisfeito com a ingerência da Record no programa, que o obrigaria a entrevistar os contratados da casa e tolheria a liberdade de seus roteiristas.

O fato é que Fábio Porchat nunca deixou de ser um corpo estranho no canal controlado pela Igreja Universal do Reino de Deus. Quando sua contratação foi anunciada, em 2016, muita gente arregalou os olhos: afinal, Porchat sempre tirou sarro dos evangélicos no Porta dos Fundos, o canal de humor do YouTube que ajudou a criar e do qual faz parte até hoje.
 
Mas parecia que os dois lados souberam aplainar suas diferenças, pelo menos no começo. Porchat conseguiu a proeza de continuar sendo ele mesmo sem entrar em rota de colisão com seus novos patrões. Sua presença na Record era uma lufada de ar fresco, em uma grade recheada de programas religiosos e novelas bíblicas.
 
No entanto, aos poucos, a realidade se impôs. Sem poder incluir nomes da Globo, a lista de convidados logo se concentrou em funkeiros inexpressivos e subcelebridades de diversas áreas. Este mesmo problema assola o concorrente “The Noite”, exibido mais ou menos no mesmo horário pelo SBT. Só que, com maior audiência, o talk show de Danilo Gentili consegue atrair quase todos os famosos internacionais que vêm ao Brasil para lançar filmes ou fazer shows.
 
Além do mais, Gentili se encaixa perfeitamente na emissora de Silvio Santos. Apesar da irreverência, seu humor é conservador. Não gera ruído depois do auditório do Ratinho ou de um telejornal com Rachel Sheherazade.
 
O mesmo não pode ser dito de Porchat na Record. Mesmo aparando arestas, é óbvio que seu público não é o mesmo do canal dos bispos.
 
O resultado é que o Ibope do “Programa do Porchat” nunca decolou. O público jovem preferiu Gentili; o público mais adulto continuou na Globo, vendo “Conversa com Bial”.
 
O próprio Porchat diz que não sabe o que será de sua vida a partir de janeiro de 2019. Mas não tem muito o que temer. Com apenas 35 anos e já famoso em escala nacional, ele deve receber novos convite em breve –se é que já não recebeu.
 
Sua passagem pela Record mostrou um esforço de ambos os lados de tentar algo diferente. Não deu certo: faz parte do jogo. E bola pra frente.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem