Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione

Lázaro Ramos, Luedji Luna e Yuri Marçal dão voz a podcast infantil

Calunguinha traz contos inspirados em grandes personagens negros da história

Montagem com Icaro Silva, Naruna Costa, Yuri Marcal e Aretha Sadick
Icaro Silva, Naruna Costa, Yuri Marcal e Aretha Sadick gravam para o podcast original Spotify Calunguinha - O Contador de Histórias - Divulgação/Spotify
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Campinas

Lázaro Ramos empresta sua voz ao Rei Malunguinho no novo podcast original do Spotify, voltado ao público infantil. Calunguinha - O Cantador de Histórias estreia nesta sexta-feira (20), com contos de ninar inspirados em grandes personalidades negras da história. A temporada terá 12 episódios, disponibilizados semanalmente, às sextas-feiras.

Idealizada por Lucas Moura e Stela Nesrine, a produção apresenta personagens como Chaguinhas, Luisa Mahin, Teresa de Benguela e João Cândido, interpretados por artistas como Margareth Menezes, Zudizilla, Sidney Santiago, Naruna Costa, Yuri Marçal, Aretha Sadick, Luedji Luna e Ícaro Silva.

No podcast, as histórias partem de acontecimentos do cotidiano infantil, como a escola. "O Calunguinha enfrenta desafios que, na escala da vida de uma criança, se equiparam ao que esses ancestrais enfrentaram", explica Stela.

Em um dos episódios, Calunguinha, um garoto pretinho (como sua mãe) e crespinho (como seu avô), chega em casa triste depois que os colegas riem de seu cabelo na escola. Quando ele pede para raspar a cabeça, sua mãe lhe conta a história de Galanga, o Chico Rei.

Conhecido como o homem do cabelo de ouro, ele comprou sua alforria com as pepitas que escondia entre as madeixas. Depois de conhecer Chico Rei, o menino passa a se orgulhar dos próprios cachinhos.

"Acho que o grande foco do Calunguinha é a construção e o resgate da autoestima, porque sem isso a gente não faz nada. São problemas reais de uma criança que, com o conhecimento dos ancestrais, ela consegue encontrar soluções", conta a idealizadora.

Ao final de cada episódio, uma música original, composta especialmente para a história, resume a aventura.

Mãe de Caetano, de 5 anos, e companheira de Lucas, Stela diz que o filho é apaixonado pelas histórias contadas por ela e pelo padrasto. "O Caetano não é uma criança negra, é meu filho com um homem branco, e ele perguntou para mim esses tempos atrás: 'Mãe, eu sou pretinho igual o Calunguinha?', com um olhar de quem pergunta se é bonito, sabe? Como quem espera que eu diga que sim".

"Eu parei para pensar e respondi [que não], só que a pergunta para mim foi muito valiosa. Ver uma criança que não é negra querendo ser reconhecida como negra de alguma forma, nem que você diga que ela tem essa ancestralidade, porque isso para ele é positivo... Então a gente já conseguiu, na nossa casa, reverter esse quadro doentinho que o racismo criou para a gente", comemora.

"Não é só para as crianças negras. Se isso acontecer, de uma criança branca olhar e falar: 'Nossa deve ser muito legal ser pretinho, ter ancestrais que conheciam tanto de tecnologia, que sabiam tudo isso', vai ser incrível", afirma.

Junto com Murilo de Campos Brianês e Miguel Medrado, Caetano Sanches dá voz às crianças do podcast. Como conteúdo extra, Stela e Lucas vão lançar entrevistas com os convidados da atração. Eles contarão quais são suas inspirações, memórias da infância, histórias preferidas, entre outras curiosidades.

O projeto foi criado durante o programa Sound Up, iniciativa do Spotify para criadores de conteúdo de grupos sub representados. Ao todo, 10 podcasts foram selecionados para a imersão, e 4 das iniciativas criadas foram lançadas com o selo da plataforma.

Segundo o casal, a pandemia evidenciou a falta de conteúdos em áudio para crianças, alternativa que substitui as telas, prejudiciais para o desenvolvimento infantil. Impossibilitados de trabalhar com o teatro e os shows, eles resolveram se unir para criar algo novo.

"Existe uma lacuna desse papel que o Estado deveria estar fazendo, de implementar a lei do ensino da África e da diáspora para o Brasil... Enquanto isso, existe uma urgência de criação desses imaginários, e a gente precisa de projetos que deem conta."

Stela destacou que, apesar de iniciativas nas indústrias audiovisual e literária, há poucos projetos em formato de áudio. "Tem uma potência do áudio, que é essa coisa de imaginar. É uma coisa que o nosso povo precisa: imaginação, sonho. Sem isso, você não tem perspectiva de futuro", conclui.

OS CRIADORES DO PODCAST

Dramaturgo, Lucas Moura foi uma criança que inventava muitas histórias. Foi essa imaginação que deu propósito ao ofício de sua vida adulta: criar novos imaginários possíveis. Ele acredita ser necessário que pessoas pretas construam novos horizontes, principalmente no tocante a narrativas raciais, o que o atravessa constantemente.

Nascido em uma periferia chamada Palmares, em Santo André, trabalhou por muito tempo escrevendo sobre acesso a moradia. Além de companheiro de Stela, ele é o padrasto de Caetano, e foi nessa jornada que passou a refletir sobre as narrativas que gostaria de contar aos mais novos.

Inconformada e sempre tornando as coisas mais bonitas, Stela Nesrine direcionou sua forma de ver o mundo com esperança a Calunguinha. A ludicidade com que falava sobre ancestralidade com o filho desde seus primeiros meses de vida passou a compor o podcast.

Filha de nordestinos e contadora de histórias, ela faz parte de uma banda de afro beat formada por 11 mulheres negras, idealizada por ela mesma.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem