Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione

Brown recebe Emicida na estreia da 2ª temporada do Mano a Mano

Podcast do MC foi o 2º mais ouvido de 2021

Foto mostra Mano Brown e Emicida
Mano Brown recebe Emicida no episódio de estreia da segunda temporada do podcast Mano a Mano, do Spotify - Jef Delgado/Spotify
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Campinas

Segundo podcast mais escutado ​do Spotify em 2021, Mano a Mano chega à 2ª temporada nesta quinta-feira (24). No episódio de estreia, Mano Brown recebe o rapper, apresentador e escritor brasileiro Emicida para uma conversa sobre sua trajetória musical e assuntos de interesses sociais, como a urbanização e a importância da história.

Emicida relembra seu primeiro contato com o hip hop, ainda na infância, e cita um encontro que teve com Brown no passado. Segundo ele, a troca marcou sua carreira: "Você me disse: 'faz música boa e dá entrevista da hora'", conta.

"Eu nunca sei direito quando começa uma carreira, mas se for para contar desde quando eu me interesso por música, aí é desde os 8 anos de idade. O rap foi algo que fez minha família olhar no espelho e perceber que era preta", afirma o rapper sobre como a música atravessa sua vivência.

Interessados por temas que perpassam suas trajetórias, Mano Brown e Emicida compartilham experiências em comum e falam sobre a relevância de se estudar história. Os dois, que passaram grande parte da vida na periferia, abordam também a mobilidade e o acesso à moradia.

"O maior problema da periferia era saúde, não era violência, não era assalto, não era luz e nem asfalto. Eu acompanhei toda a ordem de surgimento das coisas: primeiro ônibus e depois água", relembra Brown.

Emicida complementa afirmando que o conhecimento dos povos originários poderia ajudar a sociedade a se proteger de tragédias cotidianas. "Nossa relação com as enchentes, por exemplo, tudo isso se dá porque o modo de desenvolvimento que optamos enquanto sociedade é surdo para o modo de viver que já existia aqui", aponta.

"Certas regiões são modernas, têm todos os aparatos que a dignidade necessita, mas à medida que você vai se distanciando do polo financeiro, você começa a ver esse sistema de dignidade minguar", pontua sobre a concentração de recursos e acesso a condições de sobrevivência. Os amigos ainda falam sobre a segurança do jovem preto, educação e ancestralidade.

A 2ª TEMPORADA

Nesta temporada, Brown recebe personalidades de diferentes gerações e expande o diálogo sobre temas ainda não abordados, com a presença de especialistas e estudiosos da segurança pública, saneamento básico, neurociência e comédia, entre outros.

Uma novidade da nova safra é o formato de mesa redonda, em que o MC reunirá dois ou mais convidados para uma conversa ainda mais abrangente e dinâmica. Além de discutir os assuntos, o rapper busca resgatar aspectos pessoais do convidado e de sua própria história.

Entre os nomes já confirmados estão o neurocientista Sidarta Ribeiro e os especialistas em segurança pública Cecília Oliveira e o jornalista André Caramante.

Mano a Mano tem direção criativa de Spotify Studios e Gana, e produção de Spotify Studios, MugShot e Boogie Naipe. O primeiro episódio entra no ar nesta quinta (24), no Spotify.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem