Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Zapping - Cristina Padiglione

Altas Horas retoma plateia presencial após dois anos

Após período remoto, programa de Serginho Groisman manteve público virtual

Serginho Groisman contava com plateia virtual desde a volta ao estúdiio, em dezembro de 2020 - 15.jan.2022/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Serginho Groisman anunciou durante o Altas Horas deste sábado (26) que o Altas Horas retomará a plateia presencial a partir da próxima edição do programa. Desde dezembro de 2020, quando voltou ao estúdio, o Altas Horas mantinha um auditório virtual, por meio de telões com os rostos do público, e peças de roupa espalhadas pela produção na clássica arquibancada da atração.

Não há programa de TV onde o auditório seja mais personagem central do que o Altas Horas, daí a diferença que a plateia presencial deverá fazer na temperatura das apresentações naquele palco. Desde que criou o formato, ainda na TV Cultura, com o Matéria Prima, passando pelo Programa Livre, no SBT, Groisman tem como premissa dar ao público e ao centro da arena a mesma potência de iluminação.

Apesar disso, o Altas Horas é o último programa da TV a ter seu auditório presencial de volta, sinal do zelo que o apresentador teve pelos protocolos sanitários deste o início da pandemia.

Outro programa que tinha auditório presencial e não voltou a contar com isso é o Conversa com Bial, mas este pode não retomar seu formato original, em função do melhor rendimento das entrevistas sem plateia.

MUDANÇA DE HORÁRIO

A partir de 30 de abril, como aqui já foi antecipado, o Altas Horas passará a ir ao ar mais cedo, logo após a novela das nove, "Pantanal", que estreia nesta segunda-feira (28). A edição de sábado (26), aliás, contou com Almir Sater, que foi projetado para a fama nacional na versão original, há 32 anos, e estará na releitura da obra de Benedito Ruy Barbosa, agora na Globo, com adaptação do neto do dramaturgo, Bruno Luperi.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem