Zapping - Cristina Padiglione

Globo queima novela nobre com instabilidade de horário

'Um Lugar ao Sol' está à mercê do que restou do futebol na Globo, mas encontra esperança no streaming

Christian (Cauã Reymond) em sua mesa de trabalho.
Christian (Cauã Reymond), que se passa por Renato, em sua mesa de trabalho. - Fabio Rocha/TVGlobo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

A Globo teve um único mês de novela inédita na faixa nobre --quando teve de encerrar "Amor de Mãe", em março deste ano-- ao longo de um ano e oito meses de muitas reprises. E na hora de lançar um novo produto no horário nobre, com todas as dificuldades encontradas no processo de produção durante a pandemia, não consegue honrar o principal compromisso de uma grade de TV aberta: o hábito do horário da atração, no caso, "Um Lugar ao Sol".

Só na primeira semana, a novela foi atropelada por dois jogos de futebol, um na quarta, já esperado, e por isso dia mais frágil de audiência do produto, tradicionalmente, mas outro também na quinta. Esta semana, a coisa foi pior. Houve amistoso da seleção na terça (26), levando a novela para depois das 22h. Na soma total, o capítulo teve 15,2 pontos, 0,6 a menos que "Gênesis", da Record, que não concorre com Cauã Reymond, mas teve mais público que a outra.

O futebol traz receitas gigantescas e não é possível ignorá-lo, mas então não seria preferível cancelar o capítulo da novela em dias de conflito de horário?

Após perder os direitos sobre alguns dos principais eventos esportivos, a emissora claramente já não manda como antigamente na agenda do futebol e tem sido forçada a honrar o que lhe é imposto, principalmente na seara da Fifa e dos jogos da seleção.

Se antes a gente já sabia que às quartas-feiras era dia de bola, e a pior audiência em dia útil da novela das nove recaía tradicionalmente sobre esse dia da semana, agora qualquer dia e horário pode haver troca. A autora, Lícia Manzo, tem usado seu perfil no Instagram para reforçar o horário do capítulo a cada dia. A Globo teria que redobrar esse expediente para tentar sanar o problema.

É um desperdício ver uma história tão boa e bem produzida, o que é corroborado inclusive por comentários de seguidores no Twitter, submetida à camuflagem da grade de programação.

Quem não consegue acompanhar o zigue-zague da grade da Globo tem recorrido ao GloboPlay, onde "Um Lugar ao Sol" é o 3º título mais visto da plataforma, mas é uma pena que a produção deixe de encontrar tanta gente na TV aberta por falta de aviso e organização.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem