Cinema e Séries

Marco Luque deixa de lado o humor e encara personagem dramático em 'O Homem Perfeito'

Dirigido por Marcus Baldini, o longa traz Luana Piovani no elenco

O ator Marco Luque durante gravação do filme "O Homem Perfeito", na Oficina Cultural Mario de Andrade
O ator Marco Luque durante gravação do filme "O Homem Perfeito", na Oficina Cultural Mario de Andrade - Greg Salibian/Folhapress

Leonardo Volpato Lara Pires
São Paulo

Já em cartaz nos cinemas, o filme “O Homem Perfeito” é uma comédia romântica dirigida por Marcus Baldini e que tem como protagonistas Luana Piovani e Marco Luque. Mais conhecido como humorista, Luque tem, com a nova produção, a chance de mostrar seu trabalho com a dramaturgia.

Na história, ele encarna Rodrigo, um quadrinista despojado que resolve terminar o seu relacionamento de anos com a mulher, Diana (Luana), para poder viver ao lado da amante de 23 anos, a aspirante a bailarina Mel (Juliana Paiva).

O ator comemora a chance de atuar em mais uma área. “Não chega a ser um papel dramático, mas é muito diferente do que o público está acostumado. Dessa vez, surjo nas telas como um estudante de artes, despreocupado com as convenções sociais, que vive a vida de forma leve. Ele encara as coisas sem pressa nem ansiedade."

Luque diz achar importante as pessoas o verem de outro jeito. "Quero cada vez mais mostrar minhas novas facetas e a minha versatilidade. Foi assim com o meu primeiro musical, realizado neste ano", completa Luque, referindo-se ao personagem que interpretou no espetáculo "Os Produtores", ao lado de Miguel Falabella e Danielle Winits, no teatro.

Para o espetáculo, inclusive, o artista de 44 anos teve de aprender a cantar, algo que considera desafiador. E, com o filme, surgiram novas demandas. "Todo novo projeto carrega aprendizados enormes. Interpretar um papel diferente do que costumo fazer me tira da zona de conforto e me movimenta, me instiga."

Ele faz um elogio à parceria tanto com Luana Piovani quanto com Juliana Paiva. Segundo ele, a troca de experiências com ambas as atrizes foi importante para deixá-lo mais à vontade. "Foi muito especial. As duas são maravilhosas, craques de cena. Aprendi muito com elas. Estou feliz demais com esse projeto."

ATOR TEM COMO PONTO FORTE SEUS PERSONAGENS

Quem olha para o comediante Marco Luque logo lembra de sua atuação como um dos apresentadores do extinto CQC, da Band, entre 2008 e 2015. Porém,  Luque conseguiu ter vida após a atração. Seu ponto forte são os personagens que faz, no rádio, na TV e no teatro.

Ele é um dos pioneiros da peça teatral “Terça Insana”, que lotava palcos em São Paulo e mostrava atores caracterizados das mais diferentes formas. Foi no espetáculo que Luque estreou o personagem taxista e boa-praça Silas Simplesmente e o motoboy paulistano Jackson Five.

Os papéis, inclusive, rendem sucesso e repercussão até os dias de hoje e podem ser vistos, de vez em quando, no programa Altas Horas (Globo), para onde o ator migrou, em 2016.

Outro recente trabalho de caracterização foi como o famoso Nerso da Capitinga, no remake da Escolinha do Professor Raimundo (Globo). Marco Luque também se aventurou como apresentador solo na atração O Formigueiro (Band, 2010). Adaptada de uma produção espanhola, colocava convidados para passar por experiências e provas. Ficou apenas cinco meses no ar. ​

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem