Televisão

Como Marco Luque, ex-integrantes do CQC conquistam seu espaço após fim da atração

Saiba como Dani Calabresa, Felipe Andreoli e Oscar Filho também se reinventaram

Marco Luque no Grande Prêmio Risadaria Smiles do Humor Brasileiro, em São Paulo, em junho de 2017 - Marcus Leoni/Folhapress
 

Descrição de chapéu Agora
Lenadro Vieira
São Paulo

TV, teatro e cinema. O humorista Marco Luque está em todas: faz sucesso no Altas Horas (Globo), atua no musical "Os Produtores" e se prepara para o lançamento de dois filmes. 

Como ele, alguns ex-integrantes do CQC (Band, 2008-2015) conquistaram seu espaço após a saída da atração. Felipe Andreoli e Dani Calabresa, por exemplo, estão na própria Globo. Outros fazem shows de humor e atuam como jornalistas.

Marco Luque parece estar em todo lugar. Único integrante que ficou no CQC nos oito anos em que o programa durou, ele aparece agora de diversas formas. Está em cartaz em "Os Produtores", seu primeiro musical, em que divide o palco com Miguel Falabella e Danielle Winits.

Além disso, faz esquetes com seus personagens no Altas Horas e também em seu canal no YouTube, Marco Luque TV, que já ultrapassou 1 milhão de inscritos. "Uma atividade vai se somando à outra. A experiência no [espetáculo teatral] 'Terça Insana' me ajudou no CQC, que era ao vivo. E, no programa, falava e fazia piada sobre diversos temas", diz Luque, lembrando o início de sua carreira.

Neste ano, ele ainda vai estrelar dois filmes: "Talvez uma História de Amor" e "O Homem Perfeito". O primeiro, que estreia em junho, tem Mateus Solano no elenco, e o segundo conta com Sergio Guizé e Luana Piovani. "Podem esperar uma vertente minha como ator, algo diferente do que estão acostumados a ver na televisão", adianta ele.

Diferente também está a sua atuação em "Os Produtores", em cartaz no Teatro Procópio Ferreira desde 20 de abril. "Tenho aprendido bastante com o Miguel e com a Danielle. O desafio é grande, mas isso me motiva muito como artista", conta ele, que segue nos palcos até 1º de julho.

FELIPE ANDREOLI

Na apresentação do programa Esporte Espetacular, da Globo, ao lado de Fernanda Gentil, Felipe Andreoli é outro destaque que ganhou notoriedade sendo repórter do humorístico CQC. Ele conta, aliás, que sua passagem pela atração ajudou bastante na sua boa fase atual.

"Lá, passei por muitas situações difíceis, em que o improviso tinha que estar sempre afiado e a pressão era grande. Então, no Esporte Espetacular é tranquilo". Andreoli também lembra de suas participações no programa Encontro com Fátima Bernardes (Globo), onde precisava tratar de diversos temas além do esporte.

"Não digo que ficou mais fácil no Esporte, mas ficou bem menos duro", completa ele. À frente da atração dominical desde março do ano passado, ele diz que contribui mais com o clássico programa esportivo com o seu jeito de ser.

"Tenho a oportunidade de explorar o esporte, assunto que amo, de forma mais profunda e ampla", conta. "Eu e a Fernanda conseguimos abranger desde lindas histórias de pessoas que têm o esporte como pano de fundo até o cotidiano de esportistas e suas conquistas." 

Andreoli é um dos poucos ex-integrantes do CQC que sempre tiveram o jornalismo como base, pois era repórter esportivo. "Sempre fui fã de esportes, em especial de futebol. Hoje, faço a maior revista eletrônica esportiva do Brasil, e isso é uma honra para mim", comemora Andreoli.

DANI CALABRESA

Em 2015, quando a Globo decidiu reformular o antigo Zorra Total, transformando-o em Zorra e colocando-o sob o comando do ator Marcius Melhem, Dani Calabresa foi convidada para a emissora.

Desde então, ela faz parte da equipe do humorístico, que vem se renovando a cada temporada. "Nossa redação está nota mil! A gente pode fazer crítica política e esquetes mais quentes. Preparem-se!", afirmou ela, recentemente.

A atriz ainda apareceu em produções para o cinema, como "A Esperança É a Última que Morre" (2015), "Desculpe o Transtorno" (2016) e "Talvez uma História de Amor", filme que será lançado neste ano. 

Dani fez parte do CQC entre 2013 e 2014, primeiro como repórter e depois como apresentadora, com Marcelo Tas e Marco Luque. Antes de ir para a Band, ela havia ganhado destaque com os programas que fazia na MTV, entre eles o Furo MTV, que comandou ao lado do ator Bento Ribeiro, e o Comédia MTV, no qual atuava com Paulinho Serra e Tatá Werneck.

OSCAR FILHO

Outros ex-participantes do extinto semanal da Band também continuam na vida artística —e a maioria tem o humor como principal atividade. O ator Oscar Filho, que ficou na atração entre 2008 e 2014, grava atualmente a terceira temporada de "Xilindró", programa de comédia do canal Multishow.

Além disso, está em cartaz em São Paulo, com suas peças. Seu solo de stand-up, "Putz Grill...", completa dez anos em 2018 com temporada aos sábados, no Teatro Morumbi Shopping. Já às sextas, ele se une a Tiago Carvalho, Guto Andrade e Gustavo Pompiani na Cia. do Stand-Up, no palco do Teatro Santo Agostinho.

Assim como os colegas, o artista exalta sua passagem pelo CQC. "Minha atuação lá não foi importante só na minha carreira, mas foi forte também na minha vida. Ter trabalhado lá me fez ter consciência política e estudar o máximo possível para atuar", conta.

Ele também comenta a qualidade do programa. "A equipe era sensacional. E não falo só dos repórteres, mas a produção também tinha um conhecimento impressionante". Filho estará no filme "Jogos Clandestinos", que tem no elenco outro ex-integrante do CQC Juliano Dip.

Formado em jornalismo e com carreira no rádio, Dip esteve no humorístico em 2015. Atualmente, também faz reportagens para o Jornal da Band. Atuou em peças de teatro e está no elenco de um filme programado para estrear no ano que vem.

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem