Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Nick Cannon comprou celulares para filhos após Mariah Carey dizer 'não'

Eles são pais dos gêmeos Moroccan e Monroe, de 10 anos

Cantor e apresentador Nick Cannon
Cantor e apresentador Nick Cannon - Reprodução @nickcannon
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O cantor e apresentador Nick Cannon, 40 revelou no talk show diurno que leva seu nome que comprou telefones celulares para dar de presente de aniversário para seus filhos gêmeos, Moroccan Scott e Monroe, mesmo depois que a mãe, a cantora Mariah Carey, 52, disse não. O programa vai ao ar dia 11 de novembro.

“Meus gêmeos mais velhos, Roc e Roe, queriam um telefone celular aos 8 anos”, ele começa a contar ao público. "Eu era totalmente a favor, mas Mariah estava tipo 'Uh huh eles não vão nos pesquisar no Google, aprendendo sobre todos os seus novos irmãos e irmãs, não’.”

Cannon afirmou que respeitou isso aos 8 anos e depois tentou um acordo com Carey que eles poderiam ganhar aos 10, mas ela disse que não. "Então, aos 10 eu escapei e ainda lhes dei os telefones celulares de aniversário."

O cantor falou que eles tiveram uma festa incrível com os amigos e quando chegou a hora de abrir os presentes ele fugiu. 'Vou deixar isso aqui e dizer à sua mãe que eu ‘estarei de volta '”, lembra ele rindo. "Mariah ainda está com raiva de mim até hoje."

Além dos gêmeos Moroccan e Monroe com Carey, ele é pai de mais cinco outras crianças com outras mães. Em junho, ele deu boas-vindas aos gêmeos Zion Mixolydian e Zillion Heir com Abby De La Rosa.

O filho Zen, que ele divide com a modelo Alyssa Scott, nasceu nove dias depois de Zion e Zillion. Em dezembro, nasceu a filha Powerful Queen com Brittany Bell, com quem também divide o filho Golden, de 4 anos.

Em agosto, Cannon defendeu a poligamia e falou sobre ter filhos com diferentes mulheres em entrevista ao programa de rádio The Breakfast Club. O artista afirmou que a ideia de ter uma pessoa para o resto da vida é "um conceito eurocêntrico".

"Isso é apenas para classificar a propriedade, quando você pensa sobre isso e entra nessa mentalidade, a ideia de que um homem deveria ter uma mulher --nós não deveríamos ter nada", disse.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem