Celebridades

Elton John demite banda e funcionários após ter shows de turnê cancelados

Patrimônio do astro é avaliado em quase R$ 2,5 bilhões, segundo Sunday Times

Elton John demite funcionários e colegas de banda - REUTERS
São Paulo

A pandemia do coronavírus deixou Elton John, 73, no prejuízo. O astro perdeu 60 milhões de libras — o que equivale a quase de R$ 401 milhões — por ter que cancelar sua turnê de despedida, programada para acontecer em 2020. A suspensão dos shows levou o astro a demitir sua banda, incluindo parceiros de longa data, como o guitarrista Davey Johnstone, 69, e o baterista Nigel Olsson, 71.

De acordo com o Daily Mail, não foram apenas os músicos que tocavam com John que sofreram com a perda do artista, funcionários da mansão do cantor também foram dispensados. Eles trabalhavam no imóvel de John localizado em Atlanta, nos Estados Unidos, avaliado em 20 milhões de libras — correspondente a cerca de R$ 133 milhões.

Ainda segundo a publicação, o cantor e seu marido David Furnish, 57, contavam com o dinheiro que seria arrecadado na turnê "Farewell Yellow Brick Road" (Adeus Estrada de Tijolos Amarelos, em tradução livre) para se aposentarem. Recentemente, lista do Sunday Times que apontava o patrimônio milionários, mostrou que John e Furnish têm uma fortuna estimada em 360 milhões de libras, equivalente a aproximadamente R$ 2,5 bilhões.

Até agora, 34 datas da turnê de John nos EUA foram canceladas ou adiadas, e é cada vez mais provável que todos os shows agendados de setembro a dezembro também sejam afetados. Na semana passada, o cantor e o marido voaram de Los Angeles para o Reino Unido em um jato particular.

Além de as duas propriedades citadas, o astro também possui residência na França e um iate que acomoda até 18 convidados —além de 18 tripulantes— com oito quartos luxuosos, cada um com seu próprio banheiro.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem