Celebridades

Justiça ordena que Cardi B mantenha distância de vítimas de briga no clube de striptease

Cantora teria agredido duas bartenders ao acusar uma delas de ter um caso com seu ex-marido

Rapper Cardi B durante audiência no tribunal em Nova York
Rapper Cardi B durante audiência no tribunal em Nova York - AP

Gina Cherelus
Nova York

Um juiz da cidade norte-americana de Nova York ordenou nesta sexta-feira (7) que a rapper Cardi B não tenha nenhum contato com duas bartenders que ela supostamente agrediu durante uma briga em um clube de striptease.

Scott Dunn, juiz do tribunal criminal de Queens, permitiu que a estrela de hip-hop, cujo verdadeiro nome é Belcalis Almanzar, fique solta sem precisar pagar fiança, disse um porta-voz da procuradoria do distrito do Queens. O juiz havia ameaçado prendê-la por não comparecer à corte na segunda-feira (3).

A rapper recebeu mais uma boa notícia nesta sexta-feira: seu single “I Like It” foi indicado a um prêmio Grammy.

Cardi B, 26, é acusada de risco leviano, assédio e agressão por supostamente atirar garrafas e cadeiras no clube de striptease Angels NYC, em Queens, depois de discutir com duas bartenders no início da manhã de 29 de agosto, segundo a polícia.

A cantora acusou uma delas de ter um caso com seu ex-marido, Offset, membro do trio de rap Migos, noticiou a mídia local.

O casal voltou às manchetes no começo desta semana, quando Cardi B anunciou no Instagram que se separou de Offset, que se chama Kiari Cephus.

O advogado de Cardi B, Jeff Kern, não respondeu de imediato a um pedido de comentário, nem Joe Tacopina, advogado que representa as bartenders.

Ela deve voltar à corte em 31 de janeiro para enfrentar acusações de delito, e pode passar um ano na prisão se for considerada culpada. A rapper recebeu um total de cinco indicações ao Grammy nesta sexta-feira.

Reuters
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem