Celebridades

Angelina Jolie e Brad Pitt chegam a acordo por custódia de filhos

O acordo entre os atores elimina a necessidade de um julgamento

 Angelina Jolie e Brad Pitt no lançamento do filme "Malévola" no Palácio de Kensington, em 2016
Angelina Jolie e Brad Pitt no lançamento do filme "Malévola" no Palácio de Kensington, em 2016 - Justin Tallis-20.set.2016/Xinhua

São Paulo

O casal divorciado Angelina Jolie e Brad Pitt chegou a um acordo final sobre a custódia de seus seis filhos, disse a advogada da atriz nesta sexta-feira (30), após mais de dois anos de negociações. Eles são pais de Maddox, 17 anos; Pax, 14; Zahara, 13; Shiloh, 12; e dos gêmeos Know e Vivienne, 10.

“Um acordo de custódia foi acertado há semanas, e foi assinado por ambas as partes e pelo juiz”, disse a advogada de Jolie, Samantha Bley DeJean, em comunicado à Reuters. “O acordo, que é baseado nas recomendações do avaliador de custódia infantil, elimina a necessidade de um julgamento. A ação e os detalhes do acordo são confidenciais para proteger os interesses das crianças.”

Representantes de Pitt não comentaram de imediato. O comunicado desta sexta não informou como a custódia seria dividida, e o porta-voz de Jolie se recusou a dar detalhes.

Chamados na internet pelo apelido de Brangelina, Jolie e Pitt se conheceram durante as filmagens do longa de ação “Sr. e Sra. Smith”, em 2003, e começaram a namorar no ano seguinte. Eles tiveram seis filhos: três adotados (Maddox, 16, Pax, 14, e Zahara, 13) e três biológicos (Shiloh, 12 e os gêmeos Knox León e Vivienne, 10). 

​ Depois de dez anos juntos e dois de casamento,  Jolie entrou com o pedido de divórcio em setembro de 2016, quando pediu a guarda dos filhos. A imprensa internacional apontou na época que a separação foi motivada pelo comportamento de Pitt, que teria abusado verbal e fisicamente do filho mais velho do casal durante uma viagem de avião. 

Desde então, o casal passa por um divórcio pouco amigável. Em junho, o site TMZ noticiou que o casal não conseguiu entrar em acordo sobre uma agenda de visitas e uma decisão judicial ordenou que a atriz permita as visitas do ex-marido aos filhos

A publicação cita um relatório em que o juiz aponta como “prejudicial” as restrições impostas por Jolie. O magistrado teria, inclusive, estabelecido regras para que Pitt possa ligar e mandar mensagens à vontade, sem que a ex-mulher as monitore. 

O mesmo documento também detalha um novo cronograma de visitas para os próximos dois meses. O ator terá, inicialmente, dez dias de visita às crianças em Londres, onde estão morando com a mãe enquanto ela grava "Malévola 2", ficando com uma ou duas delas de cada vez por quatro horas diárias. 

Com informações da Reuters

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem