Celebridades

Após ataque racista contra filha de Bruno Gagliasso, socialite diz que Anitta 'cheira pó'

Após atacar Titi, 4, filha dos atores Bruno Gagliasso, 35, e Giovanna Ewbank, 31, com ofensas racistas, a socialite Day McCarthy divulgou um vídeo no Instagram dizendo que a cantora Anitta é usuária de cocaína. "Anitta cheira pó, sim! Cheirou pó na minha frente, eu ainda filmei, sem querer. E se me irritar muito eu posto o vídeo mesmo." 

Contatada pelo "F5", a assessoria de Anitta emitiu nota em nome da cantora repudiando as acusações

"Anitta lamenta profundamente que calúnias absurdas a seu respeito provenientes de correntes de seguidores e likes em redes sociais possam tirar o foco do preconceito, do crime repugnante de racismo e homofobia praticado contra crianças", diz o comunicado.

McCarthy, que é brasileira mas mora nos EUA, também afirmou que está "esperando o processo de Anitta até hoje".

Os vídeos com as acusações foram publicados no Instagram Stories (ferramenta em que as imagens compartilhadas desaparecem em 24 horas) da socialite junto do que ela chamou de "provas" —áudios de conversas em que ela afirma ser a voz de Anitta.

"As únicas pessoas que eu posso realmente provar que cheiram pó é só a [atriz] Thaila Ayala e a Anitta", diz a socialite em outro vídeo. O "F5" não conseguiu contatar a assessoria de Ayala até a publicação deste texto.


POLÊMICA

Não é de hoje que McCarthy se envolve em polêmicas como essas. Em agosto deste ano, a socialite ofendeu a filha de Roberto Justus e Ticiane Pinheiro, Rafaella, de 8 anos.

Processada, ela foi obrigada a retirar o vídeo do ar e excluir sua conta no Instagram, que à época tinha cerca de 100 mil seguidores.

Rafaella sofre de uma doença rara, a estenose crânio-facial, que provoca uma diferenciação dos ossos da face. No vídeo, McCarthy disse que a menina se assemelha ao Chucky, do filme "Brinquedo Assassino". 

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem