Viva Bem

Água com limão: Os benefícios e malefícios de tomar a mistura que é moda entre as fitness

Nutricionista indica fatos e mitos da bebida queridinha de Gisele Bündchen

Água com limão
Água com limão - Divulgação

Beatriz Vilanova
São Paulo

Dentre as dezenas de modas que as blogueiras fitness lançam, beber água com limão em jejum pela manhã foi uma das que mais caiu no gosto do público e das famosas. Mas será que o hábito é realmente saudável?

A simples mistura de água com limão ajuda na digestão de gorduras e é antioxidante, e por isso ganhou adeptas como Gisele Bündchen e Yasmin Brunet. A ideia é que o líquido "limpe" o organismo, para que a pessoa só consuma algo sólido o desjejum.

“As vitaminas e minerais vão ajudar o organismo no processo de eliminar as toxinas do trato gastrointestinal e a água é um detoxificante natural", explica a nutricionista Patrícia Buyo. "A vitamina C presente no limão ajuda na prevenção de gripes e resfriados e é um bom antioxidante."

A vitamina ainda ajuda a evitar o envelhecimento precoce, segundo a nutricionista, mas desde que aliada a uma boa alimentação e estilo de vida. Além disso, ela explica que o limão contém uma substância chamada limoneno, presente principalmente na casca, que é antibacteriana.

Em geral, a mistura ainda ajuda a eliminar cálculos renais e acaba estimulando o bom funcionamento do fígado e da vesícula biliar. "O pH do limão é ácido, o que vai estimular a secreção pancreática e biliar e a alcalinização intestinal. Isso tornar o processo digestivo mais eficiente", diz Patrícia.

Mas não é só achar que o limão espremido vai te garantir tudo isso. Existe uma maneira correta de ingerir a mistura: o limão deve ser espremido em um copo de 200 ml de água em temperatura ambiente, meia hora antes do café da manhã. "Isso vai ajudar o intestino e o fígado a começarem o dia funcionando melhor", afirma a nutricionista.

Segundo a médica, a mistura pode ser ingerida antes de outras refeições do dia também, uma vez que a vitamina C tem vida curta no organismo e a bebida ajuda na reposição. E, diferentemente do que muitas vezes é divulgado, a água com limão não ajuda a emagrecer ou a curar doenças como o câncer.

"Pode ajudar fazendo com que o organismo funcione melhor e fique mais regulado, e isso possa ajudar a emagrecer. Mas não se deve ao consumo de limão. O ácido cítrico do limão ajuda apenas a alcalinizar o sangue e o metabolismo", diz Patrícia. "E existem estudos publicados dizendo que não só o limão, mas outros alimentos como legumes e frutas, previnem o câncer. Mas não tem nada comprovado de que cure."

Apesar de muita gente reclamar que a mistura pode levar a problemas estomacais, a nutricionista afirma que isso também é um mito. "O limão é uma fruta ácida, mas depois de ingerido, ele se transforma em alcalino no organismo."

Ainda assim, há contraindicações: algumas pessoas podem apresentar sensibilidade ao ácido cítrico e ter dores de cabeça. E como a Vitamina C ajuda a potencializar a absorção do ferro, pessoas que tem muito ferro no sangue devem tomar cuidado no consumo do limão, adverte a nutricionista.

Também deve-se estar atento aos dentes: há reclamações constantes de que a mistura possa manchar o sorriso dos que adotam a prática. "O suco em si não mancha. Ele é ácido e cria microporosidades na superfície do dente. E nessas porosidades entram as manchas de café, chás, chocolate, Coca-Cola etc.", afirma a dentista Mirian Nakazawa.

Ela conta que a mistura também pode criar uma sensibilidade nos dentes. "É a tal da erosão ácida, que falam nas propagandas de pasta para dentes sensíveis." "E se for em desjejum, piora, pois à noite nós salivamos menos e, de manhã, os dentes estão menos protegidos." 

Nakazawa ​recomenda que as pessoas que quiserem tomar a mistura, a tomem com canudo e junto a uma refeição de verdade. “E, assim como os sucos de laranja, não pode escovar os dentes logo depois de tomar a água com limão, pois acaba desgastando a superfície do esmalte, que já está porosa."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem