BBB18

Eliminado do BBB 18, Wagner quer que relacionamento com Gleici dure fora do reality

Brother disse que a intensidade do jogo é violenta e que acriana foi sua fortaleza

Wagner no BBB 18 (Globo)
Wagner no BBB 18 (Globo) - Reprodução/TV Globo

São Paulo

Eliminado nesta terça (3) do Big Brother Brasil 18 (Globo), Wagner acredita que o relacionamento com a acriana Gleici continua fora da casa. "Quero encontrar a família dela nos próximos dias para conversarmos", disse ele em entrevista divulgada pela emissora nesta quarta (4). 

Segundo ele, a estudante de psicologia foi sua fortaleza durante o confinamento. "Eu sempre pedia para ela ficar perto de mim, porque a presença dela me fazia bem. Tive bastante tato para não atropelar as coisas e não meter os pés pelas mãos para ninguém sair magoado."

Sua torcida, ele diz, está com Gleici. "Vou acompanhar, pedir apoio. Não vejo a hora disso tudo acabar para conversarmos sem microfone, sem câmera", disse. 

OBSERVADOR

Wagner conta que se inscreveu no reality atraído pela experiência de conviver intensamente com pessoas diferentes, além da possibilidade de viver "à flor da pele".

Para ele, os 71 dias que passou dentro da casa foi um período de autoconhecimento e descoberta. Wagner conta que tentou se manter no eixo e ficar no controle da situação, embora tenha falhado, na sua avaliação.

Durante o confinamento, a postura calma e pacata do artista plástico foi se esgotando com o tempo. "Me perdi em alguns momentos, me excedi nas palavras, em outros, houve falta delas. [...] Acabou a paciência. O humor do Kaysar é muito caricato e ele faz questão que isso seja notado pelas pessoas", afirma.

Wagner ainda revelou que tinha algumas saídas para encontrar paz. Segundo ele, a tranquilidade estava em alguns lugares da casa como a pedra na porta do quarto do líder ou quando ele subia no barco e fingia que estava remando —"que é algo que me leva a um lugar bom", disse. 

O eliminado da semana também disse ter seguido sua intuição no jogo e que, embora vá contra sua personalidade, acredita que deveria ter se exposto mais durante o confinamento. Ele ressalta, no entanto, que não se arrepende de sua postura.

"Não neguei a minha intuição em nenhum momento. Andei devagar às vezes, mas isso é da minha natureza e eu jamais negaria isso. Tenho filhos, família e uma vida aqui fora, e não poderia, de maneira alguma, acelerar as coisas, os processos para fazer um tipo. Fui verdadeiro e autêntico."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem