Televisão

Jurados dizem que MasterChef terá melhor versão por ser 'ousado e malandro'

Reality da Band volta ao formato original e terá artistas convidados

MasterChef amadores 2021: Erick Jacquin, Ana Paula Padrão, Henrique Fogaça e Helena Rizzo

MasterChef amadores 2021: Erick Jacquin, Ana Paula Padrão, Henrique Fogaça e Helena Rizzo Divulgação/Band

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Em busca da retomada dos velhos e áureos tempos de boa audiência, a oitava temporada do MasterChef versão amadores estreia nesta terça-feira (6) na Band apostando no antigo formato e em uma dinâmica mais acirrada para agradar ao público.

Segundo a direção, agora o reality conta com novidades ousadas e que prometem criar alguns ruídos no relacionamento dos 23 competidores (veja quem são mais abaixo).

A começar pela introdução da caixa misteriosa dourada que poderá trazer vantagens e desvantagens na cozinha. O avental dourado é outro artifício que deve mexer com os humores nas provas, já que, com ele, o competidor que se sentir prejudicado pode assumir o controle da cozinha no lugar do capitão.

“Isso tudo mexe com a dinâmica e traz mais pimenta para a prova em equipe. Além disso, os três jurados agora escolhem os três piores para a prova de eliminação, mas se reúnem e salvam um deles”, adianta a diretora, Marisa Mestiço.

Para Ana Paula Padrão, o reality em 2021 está mais “malandro”. “O jogo é o personagem principal dessa trama. Os competidores vão precisar ser bons jogadores e traçar estratégias desde o início. O mediano que não aparecia e chegava à final não terá espaço”, afirma. “Temos muita ousadia e malandragem."

A oitava temporada também traz a chef gaúcha Helena Rizzo, 42, para o lugar da argentina Paola Carosella, 48, que por 13 temporadas --incluindo as versões amadores, profissionais e junior-- participou da competição ao lado de Erick Jacquin, 56, e Henrique Fogaça, 47.

Nascida na cidade de Porto Alegre (RS), Helena Rizzo é proprietária do renomado Maní, que é a matriz de onde tudo começou em sua trajetória de sucesso, além dos restaurantes Manioca, a Casa Manioca e duas Padocas, todos em São Paulo.

Apesar do pouco tempo, a jurada já consegue mostrar o seu estilo, que mistura seriedade e bom astral. “Como chef, ao longo dos anos, sempre fui exigente, mas também sou gestora. Um clima agradável e alegre na cozinha faz as pessoas terem confiança. Quando tem espaço para brincar a gente brinca”, diz.

Assim como na última temporada, o programa contará com a participação de famosos que vão propor desafios aos competidores. Dentre eles os cantores Duda Beat, Naiara Azevedo, Fabiano Menotti e Diogo Nogueira e o ator Felipe Titto.

O retorno do antigo formato no qual o telespectador pode acompanhar toda a trajetória do cozinheiro é um ponto positivo na opinião dos chefs jurados. Eles contam que recebiam mensagens de pessoas com saudade de torcer. Em 2020, por causa da pandemia, a cada edição havia um campeão diferente.

“A temporada passada também foi legal, curti muito. Mas essa nova será a melhor de todas, pois tem muita novidade e ‘tômpero’. Os cozinheiros são muito bons e o jogo será mais forte”, avalia Jacquin. Apesar de amadores, todos eles passam por avaliações e só os melhores entram na competição.

Porém, se agora será mais fácil se apegar aos participantes, o mesmo não pode ser dito com relação aos jurados. Para eles, o ideal é tentar manter uma certa distância de cada competidor para que nada atrapalhe o julgamento.

“Procuro ver só o potencial de cada um. Eu não tenho preferência por candidatos, mas trabalhamos com sonhos. Eventualmente eu choro, mas não quer dizer que estou apegado”, reforça o durão Fogaça. Em um dos episódios, Ana Paula Padrão terá um ataque de choro.

Para poder ser realizada com segurança, a oitava temporada dos amadores terá equipe médica a postos para que todos os protocolos sejam seguidos. Cada pessoa que entra no estúdio é testada e isso se repete a cada quatro dias.

Pela primeira vez na história do programa, os participantes ficaram confinados em um hotel em São Paulo antes e durante as gravações com o objetivo de preservá-los.

A diretora Marisa Mestiço reitera que a ideia da Band foi promover uma volta às origens, mas com o propósito de nunca ficar parado. “Temos sempre muitos desafios. Nossa proposta é sempre atrair olhares do público para fazer uma entrega diferente a cada temporada. Pensamos em trazer os sotaques do país todo.”

EX-CHEFS MIRINS ESTÃO DE VOLTA

Os cozinheiros Daphne Sonnenschein e Eduardo Prado, ambos de 19 anos, estão de volta ao MasterChef Brasil nesta oitava temporada da versão amador, a partir desta terça-feira, 22h30, na Band. Para quem não se lembra, ambos participaram da versão júnior do reality, em 2015.

Na época com 13 anos, a paulistana Daphne se destacou em uma prova de empanadas. Na ocasião, a receita da adolescente acabou entrando no cardápio do La Guapa, restaurante da chef Paola Carosella. “Quero dar o meu melhor, tentar pelo menos fazer o que eu sei”, disse ela ao site da emissora.

A garota, que hoje também é skatista e surfista profissional, foi eliminada na sétima semana, mas seguiu firme e forte no propósito de evoluir em técnicas e ingredientes. Ela é adepta da gastronomia molecular e costuma mostrar pratos em suas redes sociais.

A cozinheira quer voltar a impressionar os jurados e diz que pretende estudar gastronomia depois da pandemia. “Sou muito exigente comigo mesma. Não fico frustrada quando não consigo entregar, mas sei que poderia ter feito melhor”, afirma ela.

O paulistano Eduardo ficou em quarto lugar na edição junior e agora, mais maduro, se diz pronto para levar o título. Atualmente, ele estuda administração e quer usar o curso para potencializar sua gastronomia e criar negócios a partir do gerenciamento de empresas.

“Quero fechar um ciclo que ficou incompleto por eu não ter ido até a final”, diz ele. Na época, o competidor foi eliminado nas quartas de final depois de alguns erros técnicos ao preparar profiteroles.

No tempo em que ficou fora dos holofotes, o jovem aperfeiçoou os estudos para voltar. “Nesses seis anos, estudei muito tanto com livros quanto com Youtube para aprimorar minhas técnicas e voltar e fazer o melhor possível. Não tinha conhecimento naquela época para executar com perfeição e estou em busca disso”, afirma.

Além dos dois, há mais 21 candidatos a levantar o troféu e a levar o prêmio de R$ 300 mil. Entre eles está a atriz Isabella Scherer, 25, filha do ex-nadador Fernando Scherer, 46, que já fez novelas na Globo, como "Bom Sucesso" (2019-2020) e "Malhação - Viva a Diferença" (2017-2018).

MasterChef

  • Quando Todas as terças, às 22h30
  • Onde Na Band
  • Classificação 10 anos
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem