Televisão

Carmo Dalla Vecchia diz que não se posicionar de forma útil é desperdício

No ar na reprise de 'Império', ele se prepara para 'Cara e Coragem'

Carmo Dalla Vecchia Globo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

"A profissão de ator é uma missão." É assim que o ator Carmo Dalla Vecchia, 49, define a carreira que escolheu há mais de 25 anos ao ser questionado sobre o atual racha de seus colegas entre se posicionar ou não sobre a política brasileira.

"Temos a chance e a oportunidade de fazer as pessoas questionarem suas ideias e isso é de um valor muito grande. Não usar isso para se posicionar de uma maneira útil é um desperdício", afirma ele, que acrescenta existirem "muitas maneiras de se posicionar politicamente".

Dalla Vecchia mesmo não é adepto das grandes manifestações em suas redes sociais. Lamentou, sim, a marca de 500 mil mortos pela Covid alcançada pelo Brasil na semana passada, comemorou a vacinação da mãe e da tia, mas afirma que gosta de interagir diretamente. Aí não há restrições.

"Respondo um a um no direct. Todos. Nem que seja com um emoji. Fiz e faço amigos que já pularam do Insta e se tornaram presentes na minha vida. Tenho DRs, falo de arte, dou conselhos, discuto em alguns momentos, bloqueio nudes, recebo pedidos de dinheiro, discuto às vezes assuntos íntimos."

Acima de qualquer pressão, o ator afirma que a forma de usar as redes sociais ou a decisão de escancarar opiniões dependem exclusivamente de cada um. "Cada um compra as brigas e discussões que quer e, geralmente, escolhemos os temas que são mais próximos", afirma.

"A política deveria ser um tema pertinente a todos nós, mas nem todos são informados sobre política ou compactuam da mesma visão sobre ela", continua. "O bom disso tudo é que as pessoas estão falando mais sobre política e o diálogo é bom, é útil, faz as pessoas pensarem, compararem."

No ar em reprise de "Império" (Globo, 2015) e no Super Dança dos Famosos (Globo), no qual está na repescagem, Dalla Vecchia é discreto em relação a sua vida pessoal. Afirmou recentemente estar casado há 16 anos, mas prefere deixar os detalhes resguardados. "Para muitos o maior luxo é a fama, para outros é a privacidade."

Para o artista, "o que é público do ator é o seu trabalho e aquilo que ele resolveu comercializar". "Se eu tivesse vendido meu casamento e transformado ele em um comércio, nada mais coerente do que informar sobre ele. Como eu não vendi, não preciso dar conta disso, não é formidável?”, brinca.

REFLEXÃO, MEDO, INDIGNAÇÃO

Apesar de estar presente na TV dos brasileiros quase todos os dias, Carmo Dalla Vecchia também suspendeu as atividades durante a pandemia e passou por uma série de emoções, como a maior parte da população. Reflexão, medo e indignação estão entre os sentimentos que teve.

Segundo o ator, que estava escalado para a novela “Cara e Coragem”, de Cláudia Souto, que deve ser a próxima inédita na faixa das 19h da Globo, o budismo foi essencial para atravessar essa fase, ajudando-o a encarar tudo com olhar de aprendiz, "que procura transformar veneno em remédio".

Morando no Rio de Janeiro, o gaúcho de Carazinho, conta que aproveitou para se dedicar aos estudos: do piano, do canto e da dança. Também relaxou na alimentação e nos exercícios físicos, o que o fez ganhar bastante peso —o número exato ele não revela—, apesar de já ter retomado o físico anterior.

Segundo Dalla Vecchia, foi tanta atividade física que ele teve que se submeter a uma cirurgia nos dois joelhos, decorrente de uma lesão sofrida há cerca de dez anos, quando ainda fazia "Cordel Encantado" (Globo, 2011). A recuperação tem, inclusive, prejudicado sua participação no Super Dança.

"Tinha dias de ensaio que acordava com um edema tão grande que meus joelhos pareciam um tijolo e isso me deixava muito mal. Não dormia, pensava que não iria conseguir, mas não desisti e quando realizei as duas primeiras coreografias fiquei feliz demais. Esse quadro que está me ajudando na recuperação", diz.

DE VOLTA ÀS NOVELAS

Além do Super Dança, Carmo Dalla Vecchia pode ser visto atualmente em "Império", na faixa das 21h da Globo, onde ele dá vida ao misterioso Maurílio, que entrou na trama há algumas semanas e já engatou namoro com Maria Marta (Lilia Cabral), mulher de José Alfredo (Alexandre Nero).

Nos últimos capítulos, o personagem já mostrou que tem segundas intenções, tendo conseguido, inclusive, uma gravação comprometedora que Danielle (Maria Ribeiro) fez do marido, José Pedro (Caio Blat). Nesta semana, mais indícios de seu lado obscuro devem aparecer, com seu retorno para o Monte Roraima e com o envio de uma carta para José Alfredo.

O ator afirma que esse foi o primeiro personagem que fez sem saber o objetivo dele, se teria uma função só romântica ou se estava executando um plano de vingança. "Lembro que nunca me foi dito o que exatamente estava na cabeça de Maurílio e isso foi se definindo com o andar da história", recorda.

Dalla Vecchia conta que soube de sua escalação por um jornalista e teve que ligar para a produção para confirmar. "Fiquei feliz em saber que iria fazer uma novela de Aguinaldo Silva. Já entrei numa trama que estava dando muito certo e com um bom Ibope e um time de jogadores bastante azeitados."

O ator afirma, porém, que não está acompanhando a trama. "Sou crítico demais", diz ele, que se limita a ver cenas que os fãs compartilham com ele pelas redes sociais. “Gosto de não lembrar de que assunto se tratava a cena e ver como eu reagi na época ao desafio daquele momento.”

A expectativa agora é para voltar às novelas, em “Cara e Coragem”, que deve ser a próxima inédita da faixa das 19h, depois da reprise de "Pega Pega" (Globo, 2017). Segundo ele, que fará par com Paolla Oliveira, os encontros do elenco devem começar em setembro e as gravações, em janeiro.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem