Televisão

Ana Maria dá volta por cima ao assumir falhas e rir de si mesma na web

'Hoje eu me divirto muito com os memes', diz apresentadora

Apresentadora Ana Maria Braga Divulgação

São Paulo

"Tem um novo Paredão já rolando, com Gil, Fiuk e YouTube", anunciou Ana Maria Braga, 72, no Mais Você em 23 de abril, uma sexta-feira. As redes sociais, que não perdoam nada, logo transformaram a confusão da apresentadora com o nome de Viih Tube, ela, sim, a emparedada daquela semana, em inúmeros memes.

O YouTube entrou na brincadeira e reuniu outras duas gigantes —e concorrentes— do streaming na gracinha. "Quem nos indicou? Netflix, foi você?", postou o perfil da plataforma no Twitter. "Não fui eu! Ontem mesmo, eu sonhei que a gente estava na final", respondeu a Netflix, ironizando a própria Viih Tube que sempre costumava dizer ter sonhos premonitórios com os participantes do reality.

"Será mesmo? Globoplay, podemos pedir um VAR?", questionou o YouTube. "Ora, ora, esá rolando o Jogo da Discórdia aqui em plena sexta", respondeu a plataforma da Globo.

O que Ana Maria fez? Deu risada e foi além: levou o seu erro e as piadas em torno dela para o palco do Mais Você do dia 26, uma segunda. "Eu realmente botei uma palavra a mais, porque Viih Tube e YouTube estão ali, então saiu o nome YouTube mesmo", afirma a apresentadora, aos risos. "A vida é assim mesmo, não adianta você ficar chateado [com uma falha sua]."

Nem sempre foi assim. Em entrevista ao F5, concedida por email, a apresentadora admite que já se importou muito com as críticas e com os haters. "Mas hoje eu me divirto muito com os memes."

Ao olhar para a trajetória e para o exemplo descrito acima é possível constatar que mais do que rir de si mesma, Ana Maria parece ter percebido o enorme potencial que é ter o seu nome entre os mais comentados das redes sociais —especialmente em tempos em que a internet tem ditado tendências e comportamentos.

Os resultados ressoam na própria TV. O Mais Você fechou março com 8 pontos de audiência no PNT (Painel Nacional de Televisão), recorde mensal do programa e líder absoluto no horário –cada ponto equivale a 268 mil domicílios. Além disso, a atração e o Encontro com Fátima viraram campeões de merchandising na Globo.

É certo que muito desse sucesso tem a ajuda do Big Brother Brasil 21, outro fenômeno de audiência, faturamento e engajamento nas redes sociais. Mas é fato também que Ana Maria soube surfar nesta onda.

O café da manhã que ela toma com o eliminado da semana virou quadro queridinho e muito aguardado pelos fãs do reality. A apresentadora tem sido elogiada por sua postura ao entrevistar os jogadores do BBB, muitos dos quais que saíram da casa mais vigiada do país escorraçados pela opinião pública.

A 21ª edição foi marcada pelos três maiores índices de rejeição da história do programa com Karol Conká (99,17%), Nego Di (98,76%) e Viih Tube (96,69%). Não é tarefa simples encontrar o equilíbrio entre as perguntas que precisam ser feitas ao recém-eliminado –e que os seus espectadores esperam que ela faça— e uma certa dose de compaixão com a pessoa que está, mesmo que virtualmente, sentada ao seu lado.

Ana Maria Braga surfa na onda do BBB ao conversar com os eliminados
Ana Maria Braga surfa na onda do BBB ao conversar com os eliminados - Divulgação

"Eu me preocupo em conhecer o perfil detalhado da carreira de cada participante e o mais importante, na hora da entrevista, ponho em prática a minha capacidade de me colocar no lugar deles e tentar entender esse sentimento de rejeição depois do isolamento. Ninguém gosta de errar no jogo e na vida", diz.

A cultura do cancelamento, afirma ela, "sempre existiu e sempre machucou". "Mas a internet potencializou esse massacre sem limites", opina.

Ana Maria tem a consciência que nem tudo o que é dito nas redes precisa virar piada ou ser ignorado. Há espaço para a reflexão. Em episódio recente, por exemplo, ela assumiu o erro e pediu desculpas depois de ter falado que Carla Diaz estava sofrendo racismo reverso de Lumena no BBB.

"Quando eu erro, sou a primeira a querer corrigir e a me retratar. Nesse caso específico, faltou informação e fui buscá-la." Ela abriu o Mais Você do dia seguinte explicando o porquê usar o termo é errado.

"Ativistas e pensadores da atualidade criticam esse preconceito contra brancos definindo que racismo não se define pela cor. É um sistema de opressão que tem relação com poder. E os negros não possuem poder para serem racistas contra brancos”, afirmou ela na ocasião.

NOVO MASCOTE E VOLTA POR CIMA

Ana Maria Braga teve um 2020 muito difícil. Antes da pandemia, ainda em janeiro, a apresentadora anunciou que tinha sido diagnosticada com um câncer no pulmão —ela já havia enfrentado a doença outras três vezes ao longo de sua vida.

Ela teve de se afastar do Mais Você por algumas semanas para cuidar da saúde. Em 16 de março, com o avanço do coronavírus no Brasil, a Globo tirou do ar a atração, além de outros programas como o Encontro com Fátima, para dar espaço à cobertura jornalística da pandemia.

O Mais Você só voltou à grade da emissora no dia 5 de outubro, com Ana Maria já recuperada do câncer e comandando o programa da sua casa, em São Paulo, para evitar que ela fosse infectada. Por cinco meses, do final de abril até setembro, o programa virou um quadro dentro do Encontro.

Cerca de um mês depois do retorno do Mais Você, a apresentadora sofreu o baque mais duro do seu ano: a morte repentina de Tom Veiga, intérprete do Louro José, aos 47 anos. O ator morreu em decorrência de um AVC (acidente vascular cerebral) hemorrágico provocado por um aneurisma.

O papagaio falante e piadista foi uma criação da própria Ana, em 1996, quando ela ainda comandava o Note e Anote, na Record. No dia seguinte à morte, a apresentadora emocionou o público ao comandar o Mais Você ao vivo.

"Nem sempre sei de onde vem essa força, mas ela está aqui dentro de mim. Sou uma otimista nata, penso que tudo pode dar certo e tenho fé. E foi a fé que me fez estar na segunda-feira, depois que perdi o Tom, apresentando o programa e homenageando meu amigo, meu filho que nos deixou tão precocemente."

Em 2021, de volta aos Estúdios Globo, mas com um novo cenário em São Paulo após 12 anos no Rio de Janeiro, Ana Maria e a equipe do programa trabalham na criação e nos testes de uma nova mascote para substituir Louro José.

A emissora e a apresentadora não confirmam, mas há a expectativa que o personagem estreie em breve, depois do fim do BBB. A tendência, segundo informou a colunista Cristina Padiglione, do F5, é que venha aí um novo Louro José, talvez filho do original.

Em março, ao falar sobre o assunto com Fernanda Gentil, no Se Joga, Ana Maria disse que ainda não tinha certeza sobre ter uma nova mascote. "Mas eu acho que vai acontecer", sinalizou na ocasião.

Sobre a volta para a capital paulista, um antigo desejo seu, Ana Maria diz ao F5 que o retorno a deixa muito feliz. "Adoro o Rio de Janeiro, mas minhas raízes são paulistanas. Minha casa é aqui, meus filhos moram aqui e foi aqui, neste endereço, que eu comecei minha história com a Rede Globo."

Aos 72 anos, Ana Maria afirma não ter medo de inovar e mudar. No início de 2021, ela apareceu no Mais Você com diferentes tipos e cores de cabelo, como lilás, rosa e azul. "Eu me sinto muito renovada, entusiasmada e, principalmente, estimulo muitas pessoas a soltarem a imaginação e a criarem novos visuais."

A apresentadora é um dos símbolos no Brasil do movimento Ageless, conceito que vem sendo utilizado para designar pessoas acima dos 50 anos que não se definem pela faixa etária —que se veem livres de patrulhas ou amarras do que podem ou não usar e fazer, seja na moda, na beleza ou no comportamento.

"Fico feliz que me enxerguem como porta-voz das mulheres com mais de 50/60 anos. Aquela imagem que tínhamos das nossas mães e avós não existe mais há muito tempo. Hoje somos modernas, atualizadas, digitais, vivemos novos tempos. Eu tenho muita energia, penso o tempo todo em novidades, tenho planos e vivo e me reinvento intensamente todos os dias", afirma.

Ana Maria tomou a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus no dia 26 de março. Para 2021, ela diz que espera a cura para a Covid e que "todas as pessoas do mundo" possam ser imunizadas contra a doença. "Se tudo isso acontecer, afirmo que será um ano de muitas realizações. Vacina para Todos! Vacina Já!"

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem