Televisão

Vencedora do 1° No Limite diz que ex-BBBs vão saber o que é realmente Xepa

Há duas décadas, Elaine Cristina Castro de Melo ganhou R$ 300 mil

Elaine Melo, vencedora do primeiro No Limite, no programa Altas Horas
Elaine Melo, vencedora do primeiro No Limite, no programa Altas Horas - Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Erramos: esse conteúdo foi alterado
São Paulo

Vencedora do primeiro No Limite, Elaine Cristina Castro de Melo, 55, afirmou que a Xepa do Big Brother Brasil nem se compara com a realidade do reality de resistência, com previsão de estreia para 11 de maio. A nova temporada do programa terá a presença de 18 ex-participantes do reality de confinamento da Globo.

"Se preparem que o negócio não é fácil não. Eles reclamam da Xepa, não sabem o que é Xepa lá. Andar 25 km em dunas, ficar sem banho, sem escovar dentes, convivendo com pessoas que você nunca viu na vida", diz Melo, que participou do Altas Horas na noite deste sábado (24).

"Vão aparecer afinidades e não afinidades, parte mais conflitante da convivência. Somos seres humanos", acrescentou a cabeleireira ao recordar alguns momentos da primeira edição, que foi exibida há duas décadas, em julho de 2000.

Melo afirma ainda que mantém contato com alguns participantes de sua edição —que teve oito episódios gravados em uma praia do Ceará. Na época, a cabeleireira de São Paulo ganhou R$ 300 mil e um carro zero quilômetro.

A nova temporada de No Limite terá 11 episódios e a presença de 18 ex-participantes do Big Brother Brasil. O reality coloca um grupo de pessoas em um ambiente inóspito e com recursos limitados. Eles precisam superar uma série de desafios —as provas misturavam esforço físico e psicológico.

Em contagem regressiva para estreia de No Limite, André Marques, 41, já começou as gravações do reality. "A gravação é muito cedo, muitas provas, tem deslocamentos. Apresento, mas sou técnico da prova, tenho que prestar atenção em tudo, tem que estar de olho no que está acontecendo, então tem um desgaste físico, não igual ao deles, mas maior do que está dentro do estúdio fazendo The Voice", diz Marques, em entrevista ao site Domingão do Faustão.

No programa No Limite, os participantes já tiveram que comer cérebro de bode, ovo cru e o até olho de cabra, um dos momentos mais marcantes do reality (relembre as provas mais marcantes). Perguntado se comeria uma dessas iguarias ou se preferiria uma prova mais de resistência, Marques afirma que fica com a primeira opção.

"Prefiro comer olho de cabra a carregar um peso nas costas. Deve ter um gosto amarguinho igual ao olho de peixe. Comi e já foi. Agora, ficar na mesma posição sem se mexer tantas horas não dá, tem que ter cabeça. Se o chefe falar pra gente comer olho de cabra, a gente come."

Concebido por Boninho, responsável também por seu retorno, o programa é inspirado no americano Survivor e estreou na Globo em 2000. Foram quatro temporadas, apresentadas por Zeca Camargo, colunista da Folha que deixou a emissora em 2020.

As três primeiras temporadas do reality aconteceram entre os anos 2000 e 2001, e a quarta retornou em 2009, após um hiato de oito anos, com pessoas tentando sobreviver em um local inóspito, com poucos recursos. Os vencedores do programa foram Elaine de Melo (1ª temporada), Léo Rassi (2ª temporada), Rodrigo Trigueiro (3ª temporada) e Luciana Araújo (4ª temporada).

No dia 23 de abril, o diretor Boninho publicou um vídeo no qual traz um código QR que direciona para o perfil do programa no Instagram, onde serão divulgados spoilers do reality. Ali é possível ver vários vídeos curtos e as dicas de quais serão os próximos participantes.

A página também traz flashbacks de outras edições. Ex-participantes aparecem para falar sobre como foi a experiência no programa, como Pipa, Hilca, Elaine e Thiago.

ERRAMOS: O conteúdo desta página foi alterado para refletir o abaixo

​Primeira edição do No Limite foi exibida em 2000, e não em 2020. O texto foi corrigido. 

 

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem