Televisão

Agatha Moreira diz que fica exausta com tantas maldades de Josiane em 'A Dona do Pedaço'

Atriz se desgasta, mas comemora papel fora de sua zona de conforto

Agatha Moreira

Agatha Moreira Divulgação

Cris Veronez
Rio de Janeiro

“Ela está terrível, cada dia pior”. É assim que a atriz Agatha Moreira, 27, descreve sua personagem, Josiane, em “A Dona do Pedaço” (Globo). Uma vilã que tirou a jovem de sua zona de conforto e tem demandado um esforço maior do que antigos personagens feitos por ela. 
 
“Não é fácil interpretar uma vilã como Josiane, ainda que seja um desafio delicioso para qualquer atriz. Fico exausta com tantas maldades, mas, ao mesmo tempo, tem sido muito gostoso todo esse processo. Ela exige uma grande entrega minha”, afirmou a atriz à Folha. “Fico trabalhando o texto na minha cabeça, refletindo sobre as ações dela”.
 
Apesar de trabalho denso, o esforço parece estar dando certo. Os memes se multiplicam a cada dia nas redes, o Twitter bomba de comentários sempre que a filha da protagonista Maria da Paz (Juliana Paes) se dá mal e o público chega a abordar Moreira nas ruas. Segundo ela, às vezes demonstram raiva, misturando a atriz e sua personagem.
 
“Mas a grande parte das pessoas entende que é meu trabalho. E eu não tenho nada de Josiane (risos). Muitos torcem para que ela receba o troco pelas maldades que cometeu”, afirma o atriz, se referindo ao fato de Jô ter se envolvido com o marido da mãe, lhe tirado a fábrica e colocado a boleira para fora da mansão onde moravam. 

Agora, a influencer começa a pagar a conta. Já caiu no plano de Téo (Rainer Cadete) e Rock (Caio Castro) para fazê-la perder boa parte da grana roubada. A expectativa é que ela tenha que trabalhar em uma loja de roupas e até venda bolos como funcionária de sua mãe. Mas tudo indica que ela investirá em um novo golpe para conseguir enriquecer.
 
Moreira conta que, para viver a megera, se inspirou na protagonista do filme “A Malvada” (1950), de Joseph L. Mankiewicz, Eve Harrington (Anne Baxter). “Estudei muito, também, para entender essa falta de empatia e de culpa da personagem.”
 
Mas quem pensa que isso é coisa de novela e filme está enganado. Em meio ao reconhecimento dos fãs, a atriz conta que tem ouvido relatos de pessoas que conhecem gente com comportamento semelhante ao de Jô na vida real. Na trama, parte dos personagens já chegou a apontar a filha de Maria da Paz como uma psicopata.
 
“Ela não tem escrúpulos. É capaz de passar por cima de qualquer um que esteja no caminho dela. Não posso ser taxativa, porque acho que só um diagnóstico avançado poderia dizer se ela é de fato uma psicopata. Mas a Jô tem uma maldade genuína, uma falta de amor e empatia”, pontua Moreira.

REDENÇÃO

Sem saber o futuro de Josiane, a atriz afirma achar difícil que sua personagem encontre redenção, como aconteceu com seu ex-amante Régis (Reynaldo Gianecchini), que resolveu se empenhar em ser uma pessoa melhor para reconquistar o amor a Maria da Paz. “Mas só o Walcyr [Carrasco, autor] pode dizer isso”, acrescenta.
 
Segundo a atriz, a influencer e o bonitão têm caminhos muito diferentes dentro da trama. “O Régis era um cara que só queria vida boa. Josiane quer fama, poder e vida boa. E ela não tem limites. Existia uma culpa no Régis que nunca existiu na Josiane. Acho mais difícil ver uma redenção nela.”
 
Moreira afirma ainda que sua personagem não conhece o que é o perdão e que é muito egocentrada para admitir um erro, o que dificultaria que ela pedisse desculpas pelas vilanias que cometeu ao longo da trama. Mas a atriz também se coloca do outro lado da história, e diz que perdoar alguém pode ser difícil, dependendo da situação.
 
“Perdoar não é impossível, mas também não é fácil. E é preciso ser de coração, verdadeiro o perdão. Às vezes, leva um tempo”, diz. “Quem nunca errou? Reconhecer o erro é muito nobre. Pedir perdão, então, mais ainda. Eu não sou uma pessoa de guardar ressentimentos.”
 
Com uma rotina pesada de gravações, Moreira diz que quando está fora de cena só pensa em descansar e praticar atividades relaxantes. “Gosto de dar um mergulho no mar, ficar em casa, assistir a um filme.”

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem