Televisão

Patrícia Abravanel volta ao ar com Topa ou Não Topa e garante que não será 'cover de Silvio Santos'

'Luciano Huck que nos aguarde', diz nova apresentadora do game show

Patrícia Abravanel comanda o programa 'Topa ou Não Topa' do SBT

Patrícia Abravanel comanda o programa 'Topa ou Não Topa' do SBT Gabriel Cardoso/SBT

Beatriz Vilanova
São Paulo

Há dois anos sem programa próprio na TV, Patrícia Abravanel estreia como apresentadora de um dos game shows mais lembrados do mundo: Topa ou Não Topa. Neste sábado (17), às 15h30, ela retoma no SBT o jogo que foi apresentado por seu pai, Silvio Santos, entre os anos 2006 e 2011.

“Patrícia está uma pessoa mais leve, mais ela mesma, mais brincalhona e despreocupada”, diz o diretor do programa, Michael Ukstin. De fato, a apresentadora se mostra disposta a dançar e fazer até flexões em frente às câmeras. A intenção é seguir a espontaneidade do pai, que foi quem a escalou para a nova atração, mas ela não quer saber de comparações, muito menos ouvir especulações de que é a sucessora dele.

“Essa história de sucessor, eu acho que não existe. Tem a Patrícia apresentando”, disse Abravanel durante evento de lançamento do programa. “Vejo [o programa] como um grande presente. Vai estar com o meu jeito, porque eu não tenho o jeito dele, nem quero ter. Estou indo para ser quem eu sou, ser livre e do meu jeito, e não para ser um ‘Silvio Santos cover’, porque não dá para ser."

No programa Topa ou Não Topa, o participante precisará escolher “às cegas” uma das 26 maletas disponíveis, onde acredita estar o maior prêmio –cada uma contém valores que variam de R$ 1 a R$ 1 milhão. Sem saber qual o valor escolhido, o jogador vai abrindo a cada rodada as demais maletas, descobrindo os valores que não foram escolhidos por ele.

Enquanto o jogador escolhe qual maleta abir, uma banqueira faz propostas para que o participante troque a mala escolhida por uma quantia de dinheiro. A novidade desta edição é que, uma única vez, o jogador terá direito a fazer uma contraproposta para a banqueira.

Além disso, existirão prêmios extras de acordo com a história de cada participante –como instrumentos, food trucks etc. "É o melhor cassino do mundo, porque a pessoa sempre vai ganhar alguma coisa, nem que seja R$ 1”, brinca o diretor artístico Fernando Pelegio. “Luciano Huck que nos aguarde”, provoca Abravanel, que terá Caldeirão do Huck (Globo) como concorrente na mesma faixa de horário.

O formato do programa, desenvolvido pela Endemol Shine (mesma produtora do Big Brother e MasterChef), existe em 82 países e já teve mais de 300 temporadas produzidas. “É um formato vencedor, que pega a atenção do público e o faz você ficar grudado na TV, torcendo junto”, adianta a apresentadora. “Agora, ele volta mais dinâmico, mais rápido e mais gostoso."

Mais de 30 mil pessoas, segundo Ukstin, já se inscreveram para participar do programa. O game show se tornou motivo de nostalgia após ocupar as noites do SBT e ganhar produtos de marca própria, como o jogo homônimo de tabuleiro. Depois de MasterChef, essa é a marca da Endemol com mais licenciamentos no mundo –e segundo Juliana Algañaraz, diretora geral da produtora no Brasil, há um motivo para isso.

“Esses game shows instintivos dão muito certo porque as pessoas vibram em casa, é algo familiar. E você não se sente distanciado dele porque não precisa ser um gênio para jogar. Os game shows estão voltando ao Brasil. Houve um momento de muito sucesso, mas teve uma queda e agora eles voltam."

Ela conta que o programa tem sido negociado desde o final de 2017, quando o SBT notou que o formato estava sendo relançado nos Estados Unidos. Com a terceira gravidez de Abravanel e os acertos de ajustes, o programa pôde estrear apenas dois anos depois. 

Com saudades da plateia e das câmeras, mas confiante sobre o lançamento, Abravanel diz que os últimos anos desde o fim do Máquina da Fama, em 2017, foram necessários para ela se reencontrar como mãe. “Claro que o trabalho é importante, mas nossa vida, nossos relacionamentos, são muito mais. Hoje me sinto muito mais segura e à vontade. [...] Teve época em que eu ficava preocupada com o que falavam na internet, com o que meu pai achava. Hoje, não mais."

RAUL GIL PERDE (MAIS) ESPAÇO NA TV

Topa ou Não Topa diversifica ainda mais as tardes de sábado do SBT, que por muito tempo ficou “congelada”. A faixa de horário foi valorizada com a estreia do Programa da Maisa há poucos meses, que acabou “empurrando” o Programa Raul Gil das 14h15 para 15h30.

Com a estreia do programa de Abravanel, Raul Gil passa a entrar apenas às 16h30, perdendo uma hora de seu programa. “Deixamos o programa um pouco mais ágil", diz Pelegio. "Em um primeiro momento ele não gostou muito, mas depois ele concordou. Comercialmente ele não perde nada."

O diretor artístico afirma que, na verdade, o programa tem se beneficiado com as mudanças dos horários. “Com o Programa da Maisa, o Programa Raul Gil aumentou de audiência. E vai aumentar ainda mais [com Topa ou Não Topa]."

O “prime time” durante a semana, diz ele, já está bem consolidado, e por isso o horário no sábado pareceu ideal para encaixar a volta do game show. “Tínhamos latas, antigamente. Hoje nós temos programas."

Topa ou Não Topa

  • Quando Aos sábados, das 15h30 às 16h30
  • Onde SBT
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias