Televisão

Otávio Mesquita celebra vitórias em cima da Globo nas madrugadas: 'Estamos dominando'

Apresentador fala como remodelou formato e da amizade com Silvio Santos

Otávio Mesquita, apresentador do SBT
Otávio Mesquita, apresentador do SBT - Divulgação
São Paulo

Desde o dia 1º de março, quando mudou o semanal Operação Mesquita para diário, de segunda a sexta-feira, que o apresentador Otávio Mesquita colhe os frutos de seu bom trabalho no SBT. O programa ficou na liderança em 11 oportunidades, algo inédito na carreira de mais de 30 anos de Mesquita na televisão.

"Na madrugada a gente está dominando. Danilo [Gentili, um pouco antes] e eu. Em 35 anos de TV eu nunca tinha ganho deles com meu programa", revela, antes de dizer mais sobre o gostinho de barrar a concorrente.

Nesses três meses, Operação Mesquita superou a programação da Globo 11 vezes, segundo dados consolidados da Kantar Ibope na Grande SP. Em março, foram duas vezes, no mês subsequente foram quatro e, em maio, foram cinco atrações com desempenho superior entre 2h30 e 3h. Na média, o programa de Mesquita obteve, nessas 11 ocasiões, índice de 4,5 pontos, enquanto a Globo obteve 4 pontos –cada ponto equivale a cerca de 72 mil domicílios.

Nessa faixa de horário em que o programa é exibido a Globo teve filmes da sessão Corujão, Boletim BBB e a série americana "O Gerente da Noite". As vitórias do apresentador, segundo Ibope, se referem à média geral da atração –isto é, não venceu a Globo durante cada um dos minutos em que ficou no ar.

Mesmo assim, Otávio Mesquita afirma que é bom ganhar da Globo. "Ela sempre será a Globo, ponto de referência, uma das melhores do mundo. Portanto, ganhar deles é difícil, quase impossível. Vou comemorar agora 60 anos de idade [em 20 de junho] e é um presente. Talvez esteja em um dos melhores momentos”, define.

De acordo com Mesquita, o programa passou por algumas mudanças ao longo dos meses e foi criando laços com o telespectador da madrugada. A atração leva entrevistas com celebridades, pessoas influentes de diversos universos, festas e, sobretudo, viagens.

"O programa ficou menos técnico e mais humanizado porque criei coisas que agregam. Quando viajo com a minha família eu levo máquina, microfone de lapela e gravo, por exemplo. O SBT sempre gosta e põe no ar em capítulos”, revela.

Além dessas alterações, Mesquita também afirma que ficar entre o Roda a Roda e o programa The Noite, de Danilo Gentili, ajudou a elevar a audiência de sua atração. A ideia foi de Silvio Santos e, por falar nele, Mesquita diz que a relação com o patrão é a melhor possível –ele renovou contrato com SBT em outubro do ano passado.

Ele afirma que frequenta o Jassa, cabeleireiro de Silvio Santos, há 22 anos, e que costuma encontrar Silvio Santos com uma certa frequência para colocar o papo em dia. "Fui encontrando com ele, eventualmente, mas ali eu nunca falei sobre TV. Vou às terças ou às quintas que sei que são os dias que ele vai. Silvio me parabenizou pelas audiências boas. É um cara muito bem-humorado, mas nunca usei essa liberdade para me aproximar dele e pedir coisas. Relação de respeito."

Nem mesmo o horário tarde de seu Operação Mesquita é algo que tira o sono do apresentador. É como diz o ditado: em time que está ganhando não se mexe. "Já tive a ideia de que meu programa teria que ter horários melhores, mas acho que estou bem assim. Não tenho concorrência. Se ele entrasse por volta da meia-noite teria mais engajamento, mas estamos indo bem", conclui.

 
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem