Televisão

Assim como sua personagem em 'Malhação', Rayssa Bratillieri viveu luta contra a bulimia

Atriz afirma que seu maior desafio foi encontrar a dualidade de Pérola

Malhação - Fotos Rayssa Bratilliere
Malhação - Fotos Rayssa Bratilliere - Globo/ Paulo Belote

Jéssica Díez Corrêa
São Paulo

No ar como a estudante Pérola, de "Malhação - Vidas Brasileiras", a atriz paranense Rayssa Bratillieri, 20, comentou a boa fase vivida por sua personagem. Pérola é protagonista da quinzena que começou no último dia 29 e deve abordar um tema de relevância: os transtornos alimentares.

Na novela, a estudante passa a focar nos exercícios físicos após ver seu par romântico Márcio (André Luiz Frambach) acompanhado de uma modelo. Chamada para ser garota-propaganda da academia, Pérola desenvolve bulimia para perder peso rápido. 

Rayssa conta que, assim como a aluna do fictício colégio Sapiência, também viveu esse problema: "Já passei por isso na minha vida, tive um lapso de bulimia e anorexia. Foi bastante intenso". Na bulimia, a pessoa come, mas vomita para não engordar; na anorexia, ela faz uma dieta radical: come o mínimo para chegar às medidas desejadas.

A atriz reforçou que é preciso ter cuidado ao interpretar alguém com transtornos alimentares para que a novela não sirva de gatilho a pessoas vulneráveis. "A gente quer mostrar o quão sério é. É uma história negativa, que pode levar à morte".

Rayssa aponta que "Malhação" tem feito um trabalho primoroso ao abordar assuntos tão polêmicos. "É muito importante debater sobre temas complexos e a gente está conseguindo trazer isso em todas as quinzenas." Gordofobia, transfobia e intolerância religiosa foram alguns dos motes já abordados na trama.

No embalo do momento político vivido atualmente, corrupção também foi retratada na temporada. Pai de Pérola, o político Eduardo Mantovani, interpretado por Edson Celulari em participação especial, foi preso por ganhos ilícitos.

A estudante teve que desapegar da vida de luxo em sua nova realidade, contando com a companhia da mãe, a socialite Isadora Mantovani (Ana Beatriz Nogueira), e da empregada Rosália (Guta Stresser). Para Rayssa, contracenar com atrizes mais experientes tem sido um privilégio. 

"Tive uma sorte absurda em cair nesse núcleo. Ana Beatriz Nogueira é um estouro, incrível e eu aprendi muito a brincar em cena olhando para ela. A Guta é maravilhosa, ela está fazendo a Rosália de um jeito completamente diferente, como a gente nunca tinha visto."

Pérola não faz parte do time das boazinhas. A personagem cheia de atitude é, muitas vezes, arrogante com os colegas de sala, e tem uma implicância especial com Maria Alice (Alice Milagres), a filha da empregada. "Muitas coisas que ela faz, eu não faria", afirma Rayssa.

A atriz conta que seu maior desafio na interpretação da patricinha foi encontrar a dualidade entre bem e mal. "A gente procurou muito essa nuance de um ser humano que não é preto e branco. Cada vez mais estou encontrando isso dentro de mim, no sentido de estar composta do lado bom e entender os motivos pelos quais ela faz as coisas ruins."

Rayssa aproveita o bom momento na carreira televisiva, mas conta que seus planos futuros envolvem o amor pelos palcos. "Quero ir para fora do país, aprender outra língua e continuar atuando. Pretendo fazer outras novelas e tomara que tenham muitas oportunidades. Independentemente de qualquer coisa, eu volto para o teatro."

 
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem