Mariliz Pereira Jorge

Gente malvada só tem graça em novela

Trio Mandinga do 'BBB 18'. Diego, Patrícia e Ana Paula

Patrícia conversa com os demais participantes e diz: "Sou gostosa"
Patrícia conversa com os demais participantes e diz: "Sou gostosa" - Globo

Todo mundo já deve ter se deparado com gente da laia do Trio Mandinga do "BBB 18". Diego, o ensaboado, a vaselina, o bebê quieto. Patrícia, a sonsa, que se deixa manipular, mas não tão sonsa a ponto de saber bem que pode prejudicar o outro. Por fim, aquela que se aproveita das fragilidades emocionais e também da falta de personalidade dos outros dois para manipular não apenas eles, mas todos os distraídos que estão em volta: Ana Paula.

É um inferno conviver com gente assim, porque de cara parecem inofensivos em sua falta de graça, às vezes até fofos e engraçados, mas com o tempo percebe-se que são exatamente essas pessoas que acabam levando qualquer ambiente ao caos, mesmo sem fazer muito barulho. 

Pessoas como Diego e Patrícia, em geral, desprovidas de carisma e brilho próprio, precisam se agarrar uns aos outros para sobreviver, seja num ambiente de trabalho, numa festa cheia de gente ou trancafiados numa casa com meia dúzia. E se deixam levar por personalidades manipuladoras como a de Ana Paula.

O público pode ter achado graça do papo sou-bruxa-não-se-metam-comigo, mas a mandinga parece não ter sido forte o suficiente e aos poucos o feitiço e os impropérios vêm saindo pela culatra. A verborragia agressiva de Ana Paula pode ser engraçada num personagem de ficção, mas na vida real ninguém gosta de gente malvada.

E isso ficou claro com o resultado do último paredão. Mahmoud renasceu das cinzas, justamente por ter se agarrado àquilo que o levou à lona, a tal da verdade. O excesso de sinceridade, os nervos à flor da pele, a passionalidade interessam às pessoas até a segunda página e ele acabou abusando da retórica do “eu sou assim”. Mas quando o público constatou que ele falava, sim, a verdade no episódio que levou a cabeça de Jaqueline, Mahmoud ganhou mais um voto de confiança. Ele pode ser pitizento, mas não é mentiroso, e isso conta muitos pontos.

É possível que seja tarde demais para Mahmoud. Ou não. Talvez ele não consiga se fortalecer o suficiente para se manter na casa por muito mais tempo. Talvez leve da casa do "BBB" a lição de que o mundo nem sempre é justo com quem joga o jogo da transparência e da sinceridade. Que tanto lá dentro como aqui do lado de fora, muitas vezes a gente tem que dançar uma música da qual não gostamos e ainda temos que sorrir.

Mas foi um revés enorme nos planos do Trio Mandinga de dominar o jogo e as decisões de terceiros. A ficha começou a cair e os outros "brothers" perceberam que estão desempenhando com maestria papéis de fantoche.

Na vida real, Ana Paulas, Diegos e Patricias demoram muito mais tempo para serem desmascarados e acabam produzindo estragos irreversíveis por onde passam. Inimizades, mal-entendidos, demissões. Mas com 77 câmeras ligadas e milhões de pessoas espiando cada passo, cada palavra, cada armação, cada intriga e cada maldade, vai ficar bem ruim para eles.

Mariliz Pereira Jorge

É jornalista e roteirista.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem