Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

De faixa a coroa

Miss Mundo 2021: Brasil pode quebrar jejum de 50 anos; veja candidatas

Brasiliense Caroline Teixeira vai representar o país no mundial de hoje

Caroline Teixeira, Miss Brasil Mundo 2021

Caroline Teixeira, Miss Brasil Mundo 2021 Anderson Barbosa

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Acontece na noite desta quinta-feira (16), em San Juan, Porto Rico, a edição comemorativa de número 70 do Miss Mundo (ou Miss World, no título original). A brasiliense Caroline Teixeira, 24, é a representante do Brasil que disputa o título com outras 96 candidatas.

A coroação será no palco do Coca Cola Music Hall, na ilha caribenha, com transmissão internacional da Telemundo e no Brasil pelo serviço pago DirecTV GO. Esta é a primeira vez que o Miss Mundo acontece em um país latino, e o show deve contar com a presença de algumas das rainhas anteriores da franquia, que serão convidadas especiais.

A disputa internacional, bastante popular nos continentes asiático, europeu e africano, acontece depois de um hiato de dois anos, uma vez que a última edição foi em dezembro de 2019, em Londres. A organização optou por não fazer evento em 2020 com base nas inseguranças geradas pela pandemia de Covid-19.

Em 2019, sagrou-se vencedora a jamaicana Toni-Ann Singh, que agora é a titular há mais tempo no trono do concurso. Na ocasião, a mineira Elis Miele, antecessora de Carol no título de Miss Brasil Mundo, deixou os fãs brasileiros em êxtase ao entrar no Top 5.

Apesar de estarem seguindo à risca um protocolo sanitário, foi revelado que um pequeno grupo de misses da atual edição foi isolado na tarde de terça-feira (14) por suspeita de ter sido contaminadas pela Covid-19.

Com isso, segundo a organização, as sete candidatas em questão podem não vir a participar do show, por razões de segurança —mesmo assim, elas ainda estarão no páreo para vencer a tradicional coroa azul. Nesse caso, seriam avaliadas pelos jurados por meio de vídeos pré-gravados.

"Se as misses não produzirem um teste de PCR molecular negativo, elas não estarão no palco para o show final", afirmou a filantropa inglesa Julia Morley, CEO da Miss World Organisation, em nota à imprensa local.

"Sabendo da gravidade dessa situação global que todos enfrentamos, tomamos providências para capturar o talento único de cada concorrente para que, caso não pudessem se juntar a nós na noite da final, ainda possam vencer a coroa de Miss Mundo 2021. O painel de jurados analisará o conteúdo de seus vídeos pré-gravados para tomar a decisão final", continuou.

Morley não confirmou oficialmente quem são as postulantes que foram isoladas Porém, fóruns de misses em todo o mundo especulam que sejam as representantes da Indonésia, Índia, Tanzânia, México, Nigéria, Somália e Filipinas.

A Miss Brasil teve resultado negativo para o vírus e segue cumprindo a agenda da competição, respeitando todas as medidas de proteção impostas. Quem confirma a informação é Henrique Fontes, detentor da franquia nacional do concurso, que está em Porto Rico para acompanhar o espetáculo.

Carol conversou com exclusividade com a coluna nesta semana, e se disse ansiosa para o show. "Estamos ensaiando bastante e tenho certeza de que a final será emocionante e linda para o público. Eu estou bastante ansiosa e, claro, com tantas provas e com um concurso tão longo, o resultado pode vir a ser surpreendente", conta ela, que é formada em direito e também é atleta.

O Brasil venceu o Miss Mundo apenas uma vez, em 1971 com a médica carioca Lúcia Petterle. Portanto, se Carol vencer nesta noite, ela quebra um jejum de 50 anos sem vitórias para o país.

Diferente do Miss Universo, que realiza todas as suas etapes em cerca de uma semana, o Miss Mundo tem duração aproximada de um mês. Para se ter uma ideia, a Miss Brasil embarcou rumo ao confinamento no dia 20 de novembro.

No período, as misses cumprem uma agenda onde participam de uma série de atividades culturais, além de provas como talento, esporte, top model, multimídia, entrevista com júri técnico e a defesa de um projeto social desenvolvido por cada uma em seus países. Todas essas etapas valem pontos classificatórios, e ao longo do confinamento as meninas mais bem sucedidas entram no grupo do primeiro corte, que é de 30 semifinalistas

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem