Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

De faixa a coroa

Mineira Lorena Rodrigues é a nova Miss Grand Brasil: 'Convite irrecusável'

Sem concurso na pandemia, jovem foi escolhida por organizadores

Lorena Rodrigues Jonas Dias/Divulgação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Quando a pandemia começou, a mineira Lorena Rodrigues, 26, acreditava que sua carreira nos concursos de beleza já tinha acabado. Nem imaginava que, mais de um ano depois, conquistaria mais um título, o Miss Grand Brasil 2021. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (25).

“Na verdade ainda não caiu direito a ficha, mas estou muito feliz. Depois de seis concursos de miss e quase na idade limite, achei que tinha me aposentado desse mundo da beleza, e comecei a buscar outros rumos”, conta ao F5 a jovem, que recebeu o convite para o posto há cerca de um mês e meio.

Formada em jornalismo e em artes e design, a miss foi coroada em sigilo, na última semana, em Ouro Preto (MG). “Estava procurando opções e estudando para concurso público quando o convite apareceu, de surpresa. Avaliei um pouco e senti que meu coração me pedia para embarcar nessa jornada, então vesti a camisa e aceitei”, diz.

Sem saber que esse novo capítulo no mundo miss estava por vir, Rodrigues acabou adotando um estilo de cabelos curtíssimos, após mantê-los longos a vida toda. “Cortei em agosto. Estava na verdade cansada de cuidar e queria dar uma mudada”, conta.

“Descobri que ter cabelo curto é tudo! É super fácil de cuidar, não sei como não cortei antes. Me sinto mais bonita e estilosa. As mulheres são tão diferentes entre si, de tanto jeito, forma, tamanho… Então a pergunta que deixo é: Por que não uma miss de cabelo curto?”, questiona ela.

MISS DE CARREIRA

Agora sucessora da paraibana Lala Guedes, 27, no Miss Grand Brasil, Lorena não foi escolhida ao acaso. Experiente nas competições de miss, ela sempre teve ótimos resultados nos concursos em que participou na última década. Entretanto, ela ainda não tinha ostentado uma das coroas das grandes franquias mundiais.

“O Miss Grand International é um concurso grand slam, que está entre os maiores do mundo, então foi um convite irrecusável. Eu estudei muito a franquia quando disputei por Minas Gerais em 2019, e me apaixonei. Quando a organização nacional veio me abordar, voltou todo aquele sentimento que eu tive e só embarquei”, diz animada.

Para ela, ser eleita em meio à pandemia torna tudo ainda mais especial. “Eu nunca imaginei que surgiria uma oportunidade desta em meio a esse momento catastrófico que estamos vivendo. Me sinto parte da história como uma das misses aclamadas nesse momento de pandemia”.

Segundo o empresário gaúcho Henrique Fontes, diretor do CNB (Concurso Nacional de Beleza), que realiza o Miss Grand Brasil, Lorena é uma miss de primeiro escalão e deve ter uma performance incrível. “Ela tem um estilo com muito magnetismo, além de ser poliglota e ter habilidades de passarela, oratória e relacionamento interpessoal admiráveis”, ressalta.

MUNDIAL EM OUTUBRO

A final do mundial ainda não foi confirmada, mas a previsão é de que ocorra em outubro na Tailândia, onde fica a sede do concurso. A mais recente edição, referente a 2020, aconteceu no fim de março passado no país asiático com a vitória da americana Abena Appiah --Lala Guedes entrou no grupo das cinco finalistas.

Foi justamente esse curto período entre um concurso e outro que fez com que Fontes optasse por não realizar um concurso tradicional e aclamar Lorena. Segundo conta, eles precisavam de uma candidata que tivesse experiência, com um perfil completo, pois a preparação será curta.

“Desde o convite, teremos pouco mais de quatro meses de preparação. Além de academia e procedimentos estéticos, estou fazendo terapia com uma psicóloga, aulas de inglês, oratória, passarela, e trabalhando com parceiros para montar o guarda roupa. O vestido da final ainda está sendo discutido, mas será lindo”, revela a miss.

Atualmente, Lorena mora com a família em Juiz de Fora (MG), sua cidade natal. Modelo desde os 10 anos, já passou temporadas no Rio de Janeiro e em São Paulo. “Sempre fui muito magrinha e alta, e isso me levou aos castings de modelo logo cedo. Nunca sonhei em ser modelo ou miss, mas isso aconteceu na minha vida e eu passei a amar esses universos”.

“Sou muito grata por tudo que essas duas carreiras me trouxeram. Não consigo mais imaginar a minha vida sem ter passado por essas experiências. Os concursos me transformaram, eu entrei uma menina e agora sou uma mulher. É muito gostoso ser miss e eu realmente só agradeço por todas essas pessoas que apostaram em mim.”

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem