Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione

Nos 20 anos do Penta, Galvão Bueno endossa grito do Olodum

Para o narrador, que se despede da Globo na próxima Copa, o bloco representa 'grito antirracista'

Galvão Bueno - Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Estamos completando 20 anos --e portanto cinco edições de Copa do Mundo-- em que os jogos da seleção brasileira no mundial de futebol são celebrados ao som da batida do Olodum na tela da Globo e do SporTV.

É por isso que o bloco baiano é presença certa na série 20 Anos do Penta, que estreia neste domingo (5) no Esporte Espetacular, com endosso, evidentemente, de Galvão Bueno.

"O Olodum é o grito da negritude. É um grito antirracismo. O Olodum conta a história do nosso país", afirma Galvão Bueno, que este ano fará sua última Copa do Mundo como narrador na TV Globo.

O bloco Olodum
O bloco Olodum no Pelourinho, em Salvador, que virou amuleto de Galvão Bueno nos jogos da seleção em Copas do Mundo, desde 2002, quando veio o Pentacampeonato - Divulgação Globo

Desde que o Brasil levou o Penta, no Japão, Galvão chama o link montado pela Globo no Pelourinho, em Salvador (BA).

Como deu certo daquela vez, quem sabe? Nesse ritual cheio de superstições que assalta o brasileiro, estamos há duas décadas sem saber com antecedência o placar da partida, mas com a certeza de que o Galvão vai chamar o Olodum à cena a qualquer momento, pode ser antes, durante e depois do jogo, sem perder outra chance no intervalo.

Em nome da série do Esporte Espetacular, o repórter Guilherme Pereira viajou o país para entrevistar personagens que direta ou indiretamente fizeram parte daquela trajetória de sucesso em 2002. E o Largo Tereza Batista, no Pelourinho, sede do Olodum, estará logo no episódio de estreia.

Outro personagem entrevistado para a ocasião é o repórter Tino Marcos, que acompanhou toda a caminhada daquela seleção rumo ao Penta, desde a pressão sobre o técnico Luiz Felipe Scolari para levar Romário para a Copa, reforçada diante da incerteza sobre a recuperação de Ronaldo, gravemente lesionado no joelho nos anos anteriores àquele mundial.

O jornalista Tino Marcos
O repórter Tino Marcos, ex-Globo, grava depoimento para a série 20 Anos do Penta, do Esporte Espetacular - Globo/Divulgação

"Era uma pressão imensa. E eu diria que agravada pelo fato de a sede da CBF ser no Rio, de o Romário ser um jogador do Rio", recorda o repórter.

O episódio de estreia conta ainda com depoimento de Ronaldinho Gaúcho, um dos destaques daquela conquista.

O Esporte Espetacular vai ao ar no domingo, às 10h.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem