Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione
Descrição de chapéu jornalismo

Caco Barcellos troca a câmera pelo celular em seus 50 anos de reportagem

Há 16 anos no ar, Profissão Repórter volta ao ar com foco sobre as enchentes

Caco Barcellos - Patrick Szymshek/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Campinas

Não é de hoje que o jornalismo tem trocado as grandes câmeras e filmadoras profissionais por pequenos equipamentos, incluindo os celulares. É assim que muitos repórteres de vídeo realizam coberturas ao redor do país nos últimos tempos para telejornais de todos os tamanhos.

Na nova temporada do Profissão Repórter, Caco Barcellos, 71, passa a filmar algumas de suas matérias pelo celular, uma reinvenção na carreira às vésperas de completar 50 anos de reportagens nas ruas. A experiência será relatada durante o programa, cuja nova temporada estreia nesta terça (15), logo após o BBB, na Globo.

"Mais do que 50 anos de profissão, são 50 anos de rua. Eu sempre gostei de ficar solo na rua, sou constantemente abordado por pessoas querendo que eu conte histórias. Eu também tiro proveito disso, ando bastante de metrô e trem, sempre que tenho oportunidade, para trazer um elenco de pautas para a minha cabeça", conta o jornalista em texto distribuído pela Globo.

"Comecei a experimentar esse formato em uma pauta sobre futebol amador, que eu gravei durante um mês e meio e será exibida ao longo da temporada. E uma das ideias é ocupar o programa inteiro com uma reportagem só, o que é bem diferente daquilo que estamos acostumados a fazer", explica.

Um fator desse modelo é a ausência de companhia, já que o câmera, antes responsável por fazer o registro de imagens ao lado do repórter, não está presente. A tarefa cabe unicamente ao jornalista.

Sobre a experiência, Caco relembra sua época de correspondente em Paris: "[Era] naquele modelo mais tradicional. Sozinho em uma pauta, eu posso explorar ainda mais essa aproximação natural que as pessoas têm comigo. Agora mesmo, nesta pauta sobre o deslizamento em Franco da Rocha, a todo momento os moradores me chamavam para conhecer a casa e a vida delas", relata.

NOVA TEMPORADA

Além da mudança na forma de produção do conteúdo, o Profissão Repórter conta com repórteres recém-chegados, que compõem a equipe responsável por colocar o pé na estrada e mostrar os diferentes lados de uma notícia.

Exibido mais cedo, logo após o BBB, o programa mostra, no primeiro episódio, o resgate das vítimas do deslizamento de terra no município de Franco da Rocha, em São Paulo, que aconteceu em 30 de janeiro deste ano.

Caco Barcellos foi a Francisco Morato, município vizinho ao da tragédia, mostrar que há dezenas de famílias em situações de risco semelhantes. Ele acompanhou o trabalho da Defesa Civil, que faz vistoria nos imóveis e tenta conscientizar os moradores a deixar suas casas —escolha inviável para muitos deles.

Ainda na estreia, o programa mostra a realidade de quem mora dentro de veículos, e como funcionam suas rotinas, na capital paulista.

Os novos integrantes são os repórteres André Neves Sampaio, Chico Bahia e Milena Rocha. Além deles, os repórteres cinematográficos Gabriela Vilaça, Luiz Fernando Silva e Leandro Matozo passam a acompanhar as pautas nas ruas do país.

Profissão Repórter estreia nesta terça-feira (15), logo após a eliminação do BBB 22, na Globo.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem